Tales Faria

Tales Faria

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Nem Bolsonaro acredita mais em absolvição; por isso, quer anistia

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) já está conformado de que não conseguirá absolvição no STF (Supremo Tribunal Federal) e acabará indo preso, disse o colunista Tales Faria no Análise da Notícia desta quarta-feira (10).

Ele pede para os advogados adiarem o quanto for possível sua prisão, já que as provas contra si são robustas.

Bolsonaro foi informado, por seus advogados, de que são mínimas as chances de ele ser absolvido pelo Supremo Tribunal Federal. Portanto, é bem possível que ele acabe preso.

Ele está, mais ou menos, como um doente terminal. Os médicos, no caso os advogados dele, prescrevem um tratamento paliativo. É aquele para o cara não sentir dor às vésperas da morte. No caso, os advogados não falam publicamente, mas tudo que prometem ao Bolsonaro é adiar, ao máximo, o julgamento dele [...] Eles mesmos, os advogados e até pessoas mais próximas a Bolsonaro, acreditam que as provas contra o ex-presidente são robustas.

Segundo o colunista, essa espera para uma possível prisão serviria para Bolsonaro ganhar tempo e negociar um projeto de anistia no Congresso Nacional.

Bolsonaro pediu aos advogados que realmente tentem, ao máximo, adiar o julgamento. Ele quer tempo para articular no Congresso a aprovação da anistia. O primeiro passo para a aprovação da anistia já foi dado: um acordo do PL, partido de Bolsonaro, com o presidente da Câmara, Arthur Lira, garantiu que, se aprovado na comissão especial, o projeto vai ser pautado no Plenário. Em troca, o PL votará no candidato indicado por Lira para sua sucessão no comando da Câmara.

A amarração final de Bolsonaro será dada em 2026: Bolsonaro planeja eleger uma bancada majoritária no Senado. Se ele conseguir aprovar na comissão esse ano, estar pautada para o Plenário até o início do próximo ano e, ao longo de 2025, aprovar na Câmara, em 2026 o projeto vai para o Senado. No Senado, ele espera conseguir fazer maioria.

Para aprovar uma Emenda Constitucional, ele vai precisar eleger 49 senadores. Por isso, a meta é eleger 37. É uma tarefa difícil, mas não impossível, juntando PL, aliados e outros partidos. Ele está investindo tudo nesse projeto: a anistia. Ele não vê mais chances de ser absolvido.

O Análise da Notícia vai ao ar às terças e quartas, às 13h e às 14h30.

Continua após a publicidade

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes