Topo

Veja o que tem na água que sai das torneiras em São Paulo

Fabiana Maranhão

Do UOL, em São Paulo

2014-09-30T13:39:26

2014-09-30T13:39:26

30/09/2014 13h39Atualizada em 30/09/2014 13h39

Você sabia que a água que sai da torneira da sua casa tem ferro? Sódio? E alumínio? Esses são alguns dos dezenas de elementos presentes na água. Calma, nada de pânico. Encontrados naturalmente, eles não causam prejuízos à saúde se estiverem dentro dos limites estabelecidos pela legislação brasileira. 

Segundo análise da qualidade da água encomendada pelo UOL, a água fornecida aos moradores da capital paulista é potável porque atende os pré-requisitos determinados por lei. No entanto, é diferente em cada uma das cinco regiões da cidade. A água na zona leste da capital, por exemplo, tem mais ferro e alumínio em relação às demais; a da zona sul, mais sódio.
 
Conheça alguns dos elementos presentes na água:

Elementos encontrados na água

  • Alumínio

    Elemento natural em águas superficiais e subterrâneas. É usado no tratamento da água, adicionado em alimentos, na fabricação de latas, telhas, papel alumínio e na indústria farmacêutica. Entra no organismo humano por meio da água e dos alimentos. Ingerido em excesso, pode afetar o sistema nervoso e os ossos.

  • Bário

    Elemento químico presente naturalmente na água. Compostos do bário são usados na indústria da borracha, têxtil, cerâmica e farmacêutica. Em grande quantidade, afeta o coração, o sistema nervoso e eleva a pressão arterial.

  • Cloreto/cloro

    O cloreto é um composto formado por cloro. É encontrado nas águas superficiais como consequência do despejo de esgoto sanitário e de resíduos de indústrias. O uso do cloro no tratamento da água eleva o nível de cloreto. Em altos teores, contribui para a corrosão dos sistemas de distribuição, além de deixar a água com sabor salgado

  • Ferro

    Elemento químico presente naturalmente na água. O nível do minério aumenta por causa da erosão do solo e despejo de resíduos por indústrias. O ferro não é tóxico, mas causa mudança de sabor e de cor da água, provocando manchas em roupas e utensílios sanitários.

  • Fluoreto

    Derivado do flúor, é normalmente encontrado na água e nos alimentos, mas em pequenas quantidades. Indústrias como as de vidro e de fios de eletricidade despejam fluoreto nas águas. É adicionado à água pelas empresas de saneamento para prevenir a cárie dentária.

  • Nitrogênio nitrato

    Esgotos sanitários, resíduos industriais e escoamento da chuva por solos fertilizados são as principais fontes de nitrogênio na água. Em grande quantidade, estimula o crescimento excessivo de algas, poluindo a água. O nitrogênio nitrato é tóxico e causa metahemoglobinemia, doença letal em crianças.

  • pH

    Significa 'potencial hidrogeniônico" e mede se a água é ácida, neutra ou alcalina. Varia de zero a 14. Se o valor for entre zero e sete, a água é considerada ácida; entre sete e 14, alcalina; e sete, neutra.

  • Sódio

    Toda água natural possui sódio, assim como plantas e animais. O aumento do nível de sódio na água pode ocorrer por causa do despejo de esgoto e de resíduos industriais. Grande quantidade de sódio muda o gosto da água.

  • Sólidos dissolvidos

    Correspondem a todo resíduo que ficou na água mesmo depois do processo de tratamento. Podem causar danos aos peixes e plantas aquáticas.

  • Sulfato

    Composto presente na água como resultado da dissolução de solos e rochas. Esgoto doméstico e resíduo industrial depositados na água elevam o nível de sulfato. O uso de coagulantes no processo de tratamento também aumenta a taxa de sulfato na água. Presente em grande quantidade, tem efeito laxativo.

  • Sulfeto de hidrogênio

    Gás tóxico que causa cheiro forte na água quando ultrapassa o limite estabelecido pela legislação brasileira. É encontrado em águas superficiais que receberam esgoto doméstico e resíduo industrial e naturalmente em águas subterrâneas.

Água em SP é potável, mas qualidade é diferente em cada região

Mais Cotidiano