PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

Fuzis, drones, explosivos e escudo humano: como foi o ataque em Araçatuba

Herculano Barreto Filho

Do UOL, em São Paulo

30/08/2021 10h40

Um ataque orquestrado por um grupo de homens fortemente armados na madrugada de hoje em Araçatuba, a 519 quilômetros da capital paulista, deixou ao menos três pessoas mortas e outras quatro feridas.

Criminosos armados com fuzis explodiram caixas eletrônicos, usaram reféns como escudos humanos na fuga, espalharam explosivos pelas ruas, incendiaram veículos para isolar a cidade e ainda usaram drones para monitorar a ação.

Ação se estendeu pela madrugada

Ainda eram 23h50 de domingo (29) quando um grupo de ao menos 15 criminosos usou explosivos para danificar dois caixas eletrônicos na região central de Araçatuba. A quantia levada pelos bandidos não foi divulgada.

Outros estabelecimentos foram alvo de disparos dados por armas de grosso calibre. Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), os criminosos usaram fuzis de calibre 7.62 e .50.

Vídeos nas redes sociais mostram que os bandidos deixaram dinheiro pela rua, pego por moradores. Mas não está claro se isso intencional, para atrapalhar a polícia —ação comum em ações do tipo.

Reféns como escudo humano

Em seguida, os criminosos fizeram reféns em meio à fuga, usando as vítimas como escudo humano. Um homem teria sido morto por ter filmado parte da ação, segundo a PM-SP (Polícia Militar de São Paulo).

Criminosos fizeram moradores reféns após atacarem uma agência bancária no centro de Araçatuba (SP) - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Criminosos fizeram moradores reféns após atacar uma agência bancária no centro de Araçatuba (SP)
Imagem: Reprodução/Twitter

Um dos vídeos compartilhados nas redes sociais mostra dois homens pendurados em um veículo —um deles no capô e outro no teto.

Explosivos espalhados pela cidade

De acordo com a SSP, foram deixados explosivos em ao menos 14 pontos da cidade. Um deles foi detonado quando um homem de 25 anos passou pelo local. A vítima, ainda não identificada, sofreu amputações nos dois pés, teve dedos das mãos cortados e está internada em estado grave.

Um caminhão em frente a uma das agências bancárias também estava com explosivos, ainda segundo a SSP.

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram explosivos espalhados em pontos da cidade e moradores sendo usados como escudo pelos criminosos - Reprodução/Redes sociais - Reprodução/Redes sociais
Imagens mostram explosivos espalhados em pontos da cidade e moradores usados como escudo humano
Imagem: Reprodução/Redes sociais

A fuga: "miguelitos", drones e carros incendiados

Na fuga, os criminosos incendiaram veículos em pontes de acesso à cidade, para isolar o local. Artefatos de metal conhecidos como "miguelitos" foram deixados nas pistas para furar pneus de veículos para dificultar a ação da polícia.

O grupo ainda usou drones para monitorar a chegada ao perímetro urbano e a fuga em uma área rural da cidade. Na fuga, os criminosos abandonaram veículos com farta munição e armas de grosso calibre. Veículos foram deixados para trás com farta munição e armas de grosso calibre. Entre elas, fuzis de calibre .50 e 7.62.

Agência do Banco do Brasil fica destruída após ataque de bandidos em Araçatuba (SP). A quantia roubada ainda não foi divulgada. Três mortes foram confirmadas - Redes sociais - Redes sociais
Agência fica destruída após ataque
Imagem: Redes sociais

Reforço policial e risco de novas explosões

Policiais militares do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) e do Coe (Comando e Operações Especiais) se deslocaram da capital paulista até a cidade para apoiar as buscas e o recolhimento de explosivos. A ação ainda contou com o apoio de agentes de Bauru, Presidente Prudente e São José do Rio Preto.

"Solicitamos à população que evite passar pelo centro da cidade, pois ainda há muitos explosivos no local. Pode ser que mais artefatos explosivos sejam encontrados", disse um dos trechos de nota redigida pela PM-SP (Polícia Militar de São Paulo).

Mapa Araçatuba - São Paulo  - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Vítimas hospitalizadas

  • Homem de 28 anos - Baleado no abdômen, está em estado estável;
  • Homem de 31 anos - Baleado na face e braços, precisou ser intubado. Quadro clínico grave, mas estável;
  • Homem de 38 anos - Baleado nas pernas, braço e cabeça, de raspão. Precisou ser intubado. Quadro clínico grave, mas estável;
  • Homem de 25 anos - Atingido por um explosivo, sofreu amputações nos dois pés, teve dedos das mãos cortados e tem estilhaços em várias partes do corpo. Está intubado.

Segurança pública