PUBLICIDADE
Topo

Ibope: Paes se mantém com 53% no Rio e vê Crivella (28%) diminuir distância

Do UOL, em São Paulo

25/11/2020 18h52Atualizada em 28/11/2020 20h47

Liderando a disputa eleitoral no Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) viu o atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos), seu adversário no segundo turno, diminuir a distância. Segundo pesquisa Ibope divulgada hoje, Paes tem 53% das intenções de voto, o mesmo percentual registrado no último levantamento do instituto, enquanto Crivella subiu de 23% para 28%.

Considerando a margem de erro, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos, o ex-prefeito pode ter entre 50% e 56%, enquanto o atual prefeito varia de 25% a 31%. Mesmo com o crescimento, Crivella segue mais de 20 pontos percentuais atrás de Paes.

Brancos e nulos somaram 16%. Outros 3% não souberam ou preferiram não responder.

Percentual de votos totais:

  • Eduardo Paes (DEM): 53%
  • Marcelo Crivella (Republicanos): 28%
  • Brancos/nulos: 16%
  • Não souberam/não responderam: 3%

Levando em conta apenas os votos válidos, isto é, excluídos brancos, nulos e abstenções, a vantagem de Paes é ainda maior, de 30 pontos percentuais. Neste caso, o ex-prefeito tem 65% das intenções de voto, enquanto Crivella chega a 35%.

Este é o critério usado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado da apuração. Para ser eleito em segundo turno, um candidato precisa atingir mais da metade do total de votos válidos —a maioria simples.

Percentual de votos válidos:

  • Eduardo Paes (DEM): 65%
  • Marcelo Crivella (Republicanos): 35%
No primeiro turno, Paes alcançou 37,01% dos votos válidos (974.804) e ficou cerca de 15 pontos à frente de Crivella, que teve 21,90% (576.825). Delegada Martha Rocha (PDT), a terceira colocada, ficou com 11,30% (297.751).

Recorte por segmento

As intenções de voto em Paes são maiores conforme aumenta a escolaridade do eleitor, de acordo com o Ibope. O ex-prefeito aparece com 44% entre os entrevistados com ensino fundamental —queda de dez pontos em relação ao levantamento anterior— e 61% entre os que cursaram o ensino superior.

Seu desempenho também é melhor entre os mais jovens, de 16 a 24 anos (64%), os católicos (67%), aqueles com renda superior a cinco salários mínimos (66%) e os eleitores que avaliam a gestão de seu adversário como ruim ou péssima (72%). O candidato do DEM também se destaca mais entre as mulheres (59%) do que entre os homens (46%).

Já Crivella é o preferido entre os eleitores de 35 a 44 anos (35%), aqueles com ensino fundamental (35%), os evangélicos (54%) e aqueles que avaliam sua administração como ótima ou boa (81%) e regular (51%). Diferentemente de seu adversário, o prefeito se sai melhor entre os homens (34%). Entre as mulheres, ele tem 23%.

Desde a última pesquisa, as menções a Crivella cresceram principalmente entre os eleitores com ensino fundamental (de 28% para 35%), os evangélicos (de 45% para 54%) e aqueles com renda familiar de mais de um a dois salários mínimos (de 25% para 32%). O prefeito também conquistou cariocas que consideram sua gestão regular (de 44% para 51%).

Informações da pesquisa

O Ibope conversou com 1.001 eleitores entre os dias 23 e 25 de novembro, de forma presencial. Contratada pela TV Globo, a pesquisa foi registrada no TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) sob o protocolo RJ-02253/2020.

O levantamento tem nível de confiança estimado em 95%, o que significa dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerada a margem de erro.