PUBLICIDADE
Topo

Corpo de Chávez será embalsamado e ficará exposto em museu militar, diz Maduro

Carlos Iavelberg

Do UOL, em Caracas (Venezuela)

07/03/2013 18h18

O presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quinta-feira (7) que o corpo de Hugo Chávez será embalsamado e ficará exposto no Museu Militar de Caracas de forma definitiva. "O corpo de Chávez será embalsamado para que possa ser visto eternamente em uma urna de vidro", afirmou Maduro.

Maduro anunciou ainda que o governo decidiu prolongar por "pelo menos" mais sete dias o velório do presidente, para que todos tenham a oportunidade de ver o corpo do líder venezuelano. Hoje, a espera na fila para ver o corpo do líder bolivariano, morto na terça-feira (5), já chega a 12 horas.

“Sabemos que, ao passar das horas, serão milhões [de pessoas que virão] aqui para ver o comandante Chávez e decidimos que todos vão vê-lo. Estamos muito preocupados porque é muita gente (...) Tomamos várias decisões. Em primeiro lugar, o comandante Chávez vai estar em possibilidade de ser visto por pelo menos mais sete dias por todo o povo venezuelano, sem restrições”.

Na sexta-feira (8), estava previsto que o corpo fosse enterrado, mas Maduro disse que ocorrerá um funeral reservado a chefes de Estado que viajaram até Caracas. Segundo o presidente interino, mais de 50 chefes de Estados são esperados para o funeral.

“Amanhã vamos fazer o funeral e vamos levar, a princípio, os restos mortais do nosso comandante-presidente até um lugar especial que se está terminando de construir. Um lugar especial para que repouse enquanto chegue o momento de dar os passos que o povo está pedindo”, declarou Maduro.

Desde que Chávez morreu, milhares de venezuelanos encabeçaram a campanha "ao Panteão, ao Panteão". O clamor é para que os restos mortais do líder que comandou a Venezuela nos últimos 14 anos sejam sepultados no Panteão Nacional. Porém, a Constituição determina que se espere 25 anos da morte de qualquer pessoa para que o corpo seja levado para lá.

“Também quero dizer ao povo e ao mundo que decidimos preparar o corpo do comandante-presidente, embalsamá-lo para que fique aberto eternamente para que o povo possa vê-lo em seu museu da revolução. Assim como está Ho Chi Minh [líder vietnamita], como está Lênin [líder russo], como está Mao Tsé-Tung [chinês].”

Chavistas querem mudar Constituição

Apesar do impedimento constitucional para que o corpo de Chávez seja levado de imediato ao Panteão, o deputado venezuelano Freddy Bernal, chavista e ex-prefeito de Caracas, anunciou nesta quinta, em sua conta no Twitter, que irá pedir à Assembleia Nacional, o Congresso Nacional da Venezuela, que reforme a Constituição para permitir já o sepultamento do corpo de Chávez no local.

O Panteão é um monumento destinado a guardar os restos mortais de heróis nacionais da Venezuela, como os de Simón Bolívar, que lutou pela independência daquele país. A Constituição venezuelana, no entanto, exige se passem 25 anos desde a data da morte para que "venezuelanos ou venezuelanas ilustres, que tenham prestado eminentes serviços à República" possam ser sepultados lá.

A escolha de quem será digno da homenagem cabe à Assembleia Nacional. O atual presidente do Legislativo venezuelano, o também chavista Diosdado Cabello, manifestou seu apoio à ideia e afirmou que o Parlamento fará "todo o possível" para tanto.

"Solicitaremos à Assembleia Nacional que emende o artigo 187 [da Constituição] para levar o comandante Chávez ao Panteão JÁ (sic)", escreveu Bernal, no Twitter.

Dilma

A presidente Dilma Rousseff (PT) chegou hoje em Caracas, acompanhada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por volta das 16h. Também acompanham a presidente o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o governador da Bahia, Jaques Wagner. Segundo o Planalto, a presidente volta ao Brasil amanhã, após acompanhar o funeral do líder venezuelano.

Dilma decretou três dias de luto oficial no Brasil pela morte de Chávez. Segundo o governo venezuelano, outros 15 países também decretaram luto oficial.

Também nesta quinta-feira, chegou a Caracas o presidente de Cuba, Raúl Castro. A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e os presidentes do Uruguai, José Mujica, e da Bolívia, Evo Morales, estão desde quarta-feira (6) em Caracas.

Ao lado do presidente interino, Nicolás Maduro, Morales acompanhou o cortejo que levou o corpo do presidente do Hospital Militar de Caracas a Academia Militar, onde é realizado o velório.

Segundo a imprensa venezuelana, Chávez está vestido com um uniforme militar verde oliva, gravata preta e boina vermelha.

Morte

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, morreu aos 58 anos nesta terça-feira (5), vítima de um câncer na região pélvica, com o qual convivia há um ano e meio.

Desde que sua enfermidade foi diagnosticada, em junho de 2011, Chávez passava longos períodos em Cuba, onde tratava a doença.

O anúncio oficial da morte de Chávez foi feito por volta das 17h25 no horário local (18h55 no horário de Brasília) pelo então vice-presidente venezuelano Nicolás Maduro. No mesmo pronunciamento, Maduro confirmou que Chávez morreu às 16h25 (17h55h no horário de Brasília).

Internacional