Jovem de Cleveland abortou cinco vezes após agressões de sequestrador

Do UOL, em São Paulo

Uma das três jovens que foram mantidas reféns em uma casa em Cleveland, Ohio (EUA) por cerca de dez anos engravidou cinco vezes do acusado de ter sequestrado as mulheres, Ariel Castro, segundo relatório da polícia obtido pela "CNN".

Em todas as vezes, Michelle Knight, uma das três vítimas, segundo a polícia, foi agredida por Castro no estômago e passava dias sem comer. Quando seu raptor soube que ela estava grávida, este era o método usado por ele para fazê-la perder a criança, diz a "CNN".

Segundo investigadores, as três moças passavam períodos amarradas ou acorrentadas, e eram submetidas a jejum, agressões físicas e violências sexuais.

Apenas uma delas, Amanda Berry, chegou a dar à luz durante o cativeiro. O parto foi feito em uma piscina inflável e a jovem teve de contar com a ajuda de outra sequestrada, Michelle Knight. Um exame vai determinar quem é o pai da criança.

Durante o parto, Castro ameaçou matar Michelle caso a criança não sobrevivesse.

Aos poucos, a polícia de Cleveland vai descobrindo mais detalhes sobre o período em que Amanda Berry, 27, Gina DeJesus, 23, e Michelle Knight, 32, estiveram sequestradas.

A polícia também divulgou que as três só deixaram o cativeiro por duas vezes durante todo o período em que estiveram sequestradas.

Para ver a luz, Amanda, Michelle e Gina tinham, raras vezes, permissão de ir até o quintal. Ainda assim, tiveram de usar perucas e óculos escuros para não serem reconhecidas por algum vizinho.

As três contaram à polícia que durante algum tempo ficaram presas e acorrentadas no porão da casa. Ultimamente, porém, viviam no segundo andar da residência, em quartos separados.

"Ainda não sabemos direito como eram as circunstâncias dentro da casa e como era o controle que Castro tinha sobre as jovens", afirmou Tomba.

Apesar dos abortos, do parto e das agressões, nenhuma das três mulheres teve acesso a qualquer tipo de serviço médico durante o cativeiro.

Audiência

Ariel Castro participou pela primeira vez de uma audiência na Justiça nesta quinta-feira (9). Ele foi indiciado pelo sequestro de quatro pessoas -as três jovens e mais a criança que uma delas deu à luz no cativeiro.

Um juiz estabeleceu a fiança, para que o Castro responda em liberdade, em US$ 2 milhões (cerca de R$ 4 milhões) para cada caso de sequestro, ou seja, US$ 8 milhões (cerca de R$ 16 milhões) no total.

Na corte, o acusado permaneceu de cabeça baixa, mordendo o colarinho e assinou documentos com as mãos algemadas. Ele não falou durante toda a audiência.

Na quarta-feira (8), a polícia de Cleveland denunciou Castro por estupro e sequestro. Ele havia sido preso junto com seus irmãos Onil Castro, 50, e Pedro Castro, 54. Os irmãos, no entanto, se livraram da acusação, segundo o capitão da polícia Ed Tomba.

O procurador da cidade Victor Perez afirmou que não havia nenhuma razão para acreditar que os irmãos estejam envolvidos no sequestro. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos