PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Colômbia: designers criam cama de hospital de papelão que vira caixão

Cama de hospital que se transforma em caixão criada pela empresa ABC Displays, na Colômbia - ABC Displays
Cama de hospital que se transforma em caixão criada pela empresa ABC Displays, na Colômbia Imagem: ABC Displays

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 09h57

Em meio à pandemia do novo coronavírus, um grupo de designers na Colômbia criou uma cama de hospital feita de papelão que se transforma em um caixão. A ideia, segundo o grupo, foi trazer uma opção barata e pouco convencional para dar conta do crescente número de mortes e da falta de leitos nos hospitais do país.

"Ficamos parados por alguns meses como todo mundo, até termos essa ideia. Mas quando vimos o que estava acontecendo no Equador, onde os corpos se acumulavam nas ruas, sabíamos que tínhamos que nos preparar de alguma forma", disse Rodolfo Gómez, fundador da ABC Displays, em entrevista ao jornal The Guardian.

A empresa já costumava trabalhar com produtos para publicidade feitos com papelão e diz que pode produzir até 3.000 camas por mês, cada uma custando cerca de US$ 95.

"As pessoas podem dizer que estamos construindo leitos de morte, mas estamos tentando ajudar durante uma crise", acrescentou Gómez. A empresa está avaliando negócios com EUA, Brasil, México, Peru e Chile e prometeu doar 10 leitos para um hospital em Leticia, cidade na Amazônia colombiana, para testar o material.

Na semana passada, a OMS (Organização Mundial de Saúde) apontou a América Latina como epicentro da doença. O Brasil é o país com o maior número de casos e de mortes em decorrência da covid-19.

Na última quinta-feira, 21, a Colômbia registrou 22 mortes em decorrência da doença, um recorde para o país desde o início da pandemia. Segundo o Ministério da Saúde, até o momento, 4.431 pessoas foram curadas e 222.110 testes de coronavírus foram realizados desde março. O país registrou mais de 18 mil mortes.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Coronavírus