PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Biden cobra fim do racismo sistêmico após novo abuso policial contra negro

Joe Biden cita "desmantelar racismo sistêmico" após polícia atirar contra homem negro nas costas em Wisconsin - Olivier DOULIERY / AFP
Joe Biden cita 'desmantelar racismo sistêmico' após polícia atirar contra homem negro nas costas em Wisconsin Imagem: Olivier DOULIERY / AFP

Do UOL, em São Paulo

24/08/2020 15h41Atualizada em 25/08/2020 11h20

Joe Biden, candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, condenou hoje a abordagem violenta pela polícia contra Jacob Blake, homem negro alvejado com vários tiros nas costas. Em nota oficial, Biden afirmou que "desmantelar o racismo sistêmico é uma tarefa urgente".

De acordo com o advogado da família de Blake, a abordagem agressiva ocorreu na frente dos três filhos pequenos da vítima. Ele estava abrindo a porta de seu carro quando foi alvejado pelos policiais. O caso aconteceu na cidade de Kenosha, no estado de Wisconsin.

"Nesta manhã, a nação acorda mais uma vez com luto e indignação por mais um americano negro ser vítima de força excessiva. Isso exige uma investigação imediata, completa e transparente e os oficiais devem ser responsabilizados. Esses tiros perfuram a alma de nossa nação. Jill [mulher de Biden] e eu oramos pela recuperação de Jacob e seus filhos", afirmou o ex-vice-presidente.

Os relatórios indicam que Blake parou para ajudar em um conflito doméstico entre duas pessoas, enquanto seus três filhos estavam no banco de trás de seu veículo. Foi quando a polícia, chamada ao local, apareceu e atirou.

"Embora ainda não tenhamos todos os detalhes, o que sabemos com certeza é que ele não é a primeira pessoa negra a ter sido baleada, ferida ou impiedosamente morta nas mãos de indivíduos na aplicação da lei em nosso estado ou em nosso país", afirmou ontem o governador de Wisconsin, Tony Evers.

Até o momento, o presidente Donald Trump não se pronunciou publicamente sobre o ataque contra Blake. O chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, disse hoje a repórteres que espera que o procurador-geral William Barr dê um panorama geral do ocorrido a Trump, em algum momento.

Protestos antirracistas

Durante a noite de ontem, Kenosha foi palco de protestos antirracistas, assim como ocorreu após a morte de George Floyd em maio. As manifestações contra a abordagem a Blake e o racismo estrutural foram alvo de confrontos com policiais, de acordo com imagens publicadas pelo Milwaukee Journal Sentinel. Com o acontecido, a cidade declarou um toque de recolher noturno.

Internacional