Conteúdo publicado há 7 meses

Vídeo mostra morte de homem preso injustamente por 16 anos em blitz

Um vídeo divulgado pela Delegacia do Condado de Camden, na Geórgia, mostra o momento em que um homem negro foi morto por um policial durante uma abordagem, na última segunda-feira (16). A vítima é Leonard Cure, 53, que passou 16 anos preso injustamente após ser condenado em outro estado americano, em 2003.

O que aconteceu

Leonard Cure foi parado por um policial por excesso de velocidade. Um porta-voz do gabinete do delegado do Condado de Camden disse que Cure estava a cerca de 145 km/h, sendo que o limite de velocidade era de 70 km/h. A abordagem aconteceu na Rodovia Interestadual 95, na Geórgia, próximo à divisa com o estado da Flórida.

Após ser abordada, vítima saiu do carro e obedeceu às ordens. Segundo as autoridades locais, Cure estava colaborando até o momento em que o policial decidiu lhe dar voz de prisão. A partir daí, ele resistiu e, em seguida, foi atingido com uma pistola taser (de choque), como mostra o vídeo.

Além da arma de choque, oficial também bateu em Cure com um cassetete. A vítima continuou resistindo e, segundo o GBI (Escritório de Investigação da Geórgia, na sigla em inglês), também agrediu o policial. No vídeo, é possível ver que ambos tentaram agredir e se defender em diferentes momentos.

Policial sacou uma arma e atirou em Cure. A vítima chegou a ser levada com vida para um pronto-socorro, mas não resistiu aos ferimentos. Ainda não está claro por que o oficial decidiu pela ordem de prisão contra Cure, informou a NBC TV. O GBI disse que vai conduzir uma investigação independente sobre o caso.

Libertação

Cure passou mais de 16 anos preso injustamente na Flórida. Ele havia sido condenado por assalto à mão armada em 2003. Em 2020, Cure foi a primeira pessoa a ser libertada pela Unidade de Revisão de Condenações do Ministério Público do estado, depois que uma nova investigação do caso concluiu que era inocente.

Desde sua libertação, Cure estava trabalhando como segurança. Ele tinha esperança de ir para a faculdade, estudar produção musical e iniciar uma carreira na música. Cure também estava comprando sua primeira casa, segundo informou o IPF (Projeto Inocência da Flórida, na sigla em inglês) em seu site oficial.

Em junho, ele recebeu uma indenização de R$ 4 milhões (US$ 817 mil). O valor foi pago pelo estado da Flórida por suas condenação e prisão injustas.

Continua após a publicidade

Lenny era uma grande pessoa que já havia perdido 16 anos de sua vida devido ao encarceramento injusto. E agora acontece isso. Ele e sua família mereciam coisa melhor. A vida de Lenny importava. Estamos completamente arrasados.
Coordenadores do IPF, em nota à imprensa

Deixe seu comentário

Só para assinantes