Conteúdo publicado há 1 mês

Impedida de ir ao velório, viúva de Navalni faz homenagem nas redes sociais

A viúva de Alexei Navalni, líder opositor russo, prestou homenagens ao companheiro pelas redes sociais, já que não participou presencialmente do velório dele em Moscou.

O que aconteceu

Yulia Navalnaya não se despediu do marido. Segundo a mídia estatal russa, ela será presa se pisar no país.

"Obrigada por 26 anos de absoluta felicidade. Sim, mesmo os últimos três anos de felicidade", escreveu. A publicação no X (antigo Twitter), foi acompanhada por um vídeo com imagens dos dois.

Obrigada por seu amor, por sempre me apoiar, por me fazer rir mesmo da prisão, pelo fato de que você sempre pensou em mim. Não sei como viver sem você, mas tentarei sempre tentar me fazer feliz por você, e orgulhosa de mim. Não sei se conseguirei, mas tentarei. [...] Te amo para sempre. Descanse em paz.
Yulia Navalnaya, viúva de Alexei Navalni

O funeral

Velório começou às 14h no horário local (8h no de Brasília). Funeral aconteceu em uma igreja de Moscou.

Navalni foi enterrado duas horas depois, em um cemitério próximo. Homenagem acontece após semanas de impasse. A família de Navalni só pôde ver o corpo dele uma semana após a divulgação da morte e disse que nenhum serviço funerário queria transportar o corpo do necrotério para o velório.

Cerimônia acontece sob forte policiamento. Segundo a porta-voz de Navalni, Kira Yarmysh, há cerca de 400 mil pessoas no local. Ela não informou a origem do número, embora imagens mostrem uma longa fila em frente aos portões.

Continua após a publicidade

Circunstâncias da morte não foram esclarecidas. Navalni morreu aos 47 anos, em uma prisão próxima do Círculo Polar Ártico. Os serviços penitenciários russos disseram que ele se sentiu mal após uma caminhada, e o atestado de óbito apresentado à família diz que ele morreu de "causas naturais".

Várias pessoas que se opuseram ao Kremlin tiveram mortes misteriosas. Uma delas, por exemplo, era Yevgeny Prigozhin, líder do grupo mercenário Wagner, que se amotinou contra Moscou em junho de 2023. Em agosto do mesmo ano, Prigozhin morreu na queda de um jato particular.

*Com informações da Reuters e AFP

Deixe seu comentário

Só para assinantes