Topo

Onça-pintada que circulava por ruas de Juiz de Fora (MG) é capturada

Daniel Leite

Colaboração para o UOL, em Juiz de Fora (MG)

2019-05-13T14:25:34

13/05/2019 14h25

A onça-pintada que andava por ruas e avenidas de Juiz de Fora (273 km de Belo Horizonte), na Zona da Mata de Minas Gerais, foi capturada na noite de ontem e será enviada para um local de preservação ambiental. O felino foi visto pela primeira vez no dia 25 de abril por um vigilante do Jardim Botânico da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora).

O animal tem aproximadamente 4 anos de idade, é macho, está em boas condições de saúde, possui todos os dentes, pesa 51,6 kg e tem 1,81m de comprimento.

Segundo os especialistas que participaram da captura, a onça-pintada não tem nenhum arranhão ou qualquer outro indício de que tenha se envolvido em alguma briga com outro animal macho, indicando, assim, que estava de passagem e não procurou estabelecer território.

Coletas de sangue, urina e pelo foram realizadas para análise mais detalhada pelo Centro Nacional de Pesquisas e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap) e pela UFJF, onde foi realizada uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira.

Divulgação/Universidade Federal de Juiz de Fora
A onça-pintada tem aproximadamente 4 anos de idade, é macho e está em boas condições de saúde Imagem: Divulgação/Universidade Federal de Juiz de Fora

O local para onde o bicho será levado não foi revelado por questão de segurança, seguindo um protocolo. O que se sabe é que será em uma área de proteção ambiental de Mata Atlântica onde há outros exemplares da espécie para futura reprodução.

Uma coleira foi instalada para monitoramento do animal. O dispositivo se desprende após cerca de um ano de uso.

A captura da onça envolveu uma força-tarefa com mais de 60 profissionais do Cenap, UFJF, Universidade Federal de São João del-Rei, Polícia Militar, Polícia Militar do Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros, Exército, prefeitura, Instituto Estadual de Florestas e Ibama.

O felino foi capturado em uma armadilha de caixa onde havia uma isca. No total havia quatro armadilhas instaladas.

Nos últimos dias a onça vinha se afastando da Mata do Krambeck, área de difícil acesso por onde costumava passear. Foi necessário utilizar um aparelho sonoro que possivelmente ajudou a atrair o bicho, afirmou o biólogo do Instituto Estadual de Florestas, Arthur Valente.

Divulgação/Universidade Federal de Juiz de Fora
O local para onde o bicho será levado não foi revelado por questão de segurança Imagem: Divulgação/Universidade Federal de Juiz de Fora

Nos 18 dias em que despertou a curiosidade dos moradores, deixou muita gente apreensiva e mobilizou autoridades, a onça foi filmada por câmeras de segurança em pelo menos dez pontos distintos, entre eles o estacionamento de um hotel, de uma igreja e às margens do rio Paraibuna, que corta a cidade. Pelo menos dois ataques do bicho a galinheiros foram registrados.

Os trabalhos de busca foram realizados 24 horas por dia, com a realização de uma ampla campanha local de conscientização sobre a necessidade de não se aproximar da onça e da preservação da espécie.

"O aparecimento dela mobilizou a população de Juiz de Fora, que trouxe à tona a necessidade de preservação desse animal que está em extinção. As escolas debateram nas suas atividades a presença dessa onça e a necessidade de coexistência", disse a pró-reitora de extensão da UFJF, Ana Lívia Coimbra.

Com a captura, o Jardim Botânico deverá ser reaberto em até duas semanas.

Mais Meio Ambiente