PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

ONGs denunciam ao G7 responsabilidade de Bolsonaro nos incêndios na Amazônia

Foco de incêndio na Floresta Amazônia em São Félix do Xingu, no Pará, registrado pelo Greenpeace - Daniel Beltrá/Greenpeace
Foco de incêndio na Floresta Amazônia em São Félix do Xingu, no Pará, registrado pelo Greenpeace Imagem: Daniel Beltrá/Greenpeace

Em Rio de Janeiro

23/08/2019 23h06

Organizações da sociedade civil advertiram hoje que as políticas do presidente Jair Bolsonaro colaboraram com a proliferação dos incêndios na Amazônia, na véspera da reunião das principais economias mundiais (G7) na França.

A devastação gerada pelos incêndios florestais na Amazônia mobilizou líderes políticos, ícones culturais e personalidades da sociedade civil, que exigem respostas de Bolsonaro à crise.

"Os problemas de desmatamento e queimadas na Amazônia vêm de longa data; porém, o agravamento desse quadro no ano de 2019 é resultado direto do comportamento do governo de Jair Bolsonaro", destaca a declaração conjunta da rede de ONGs do Brasil.

Entre os fatores de intensificação da crise ambiental amazônica as ONGs destacam "a recusa em demarcar terras indígenas, a promessa de abri-las para exploração (...), o desmonte sistemático e deliberado da capacidade operacional do IBAMA (...), a legalização de atos ilegais de grilagem de terras públicas, derrubadas e queimadas, e a exploração madeireira e mineral...".

Para as ONGs, "as declarações públicas do presidente Bolsonaro de que vai afrouxar a fiscalização e acabar com uma suposta "indústria das multas", dando um claro sinal de impunidade a crimes ambientais", apenas contribui para agravar a situação.

Meio Ambiente