Topo

Fumaças de incêndios na Amazônia chegam ao Uruguai

27.ago.2019 - Pessoas correm por calçadão em Montevidéu, de onde são vistos vestígios de fumaça das queimadas da Amazônia - Xinhua/Nicolás Celaya
27.ago.2019 - Pessoas correm por calçadão em Montevidéu, de onde são vistos vestígios de fumaça das queimadas da Amazônia Imagem: Xinhua/Nicolás Celaya

Em Montevidéu

27/08/2019 21h56

Os uruguaios foram surpreendidos hoje por uma forte neblina que cobriu os céus do país, um fenômeno provocado pela chegada da fumaça dos incêndios que se alastram por áreas de floresta amazônica em vários países da região, especialmente nos territórios de Brasil e Bolívia.

A presença da fumaça gerada pelos incêndios na Amazônia foi confirmada pelo técnico-chefe do Instituto Uruguaio de Meteorologia (Inumet), Néstor Santayana, que disse à imprensa local que o material está em uma altitude considerável na atmosfera, não perto do solo.

Diante da preocupação da população, o Ministério de Saúde Pública do Uruguai divulgou um comunicado para alertar os uruguaios sobre os riscos provocados pela fumaça dos incêndios florestais. O órgão informou, porém, que nenhum incidente relacionado ao fenômeno foi registrado no país até o momento.

Entre os problemas que a presença da fumaça pode causar, o governo do Uruguai destacou uma possível irritação do sistema respiratório e o agravamento de doenças cardíacas e doenças pulmonares crônicas. Os sintomas imediatos informados são tosse, ardência nos olhos, dor no peito, dor de cabeça, ataques de asma, cansaço e ritmo cardíaco acelerado.

"Inclusive pessoas saudáveis podem ficar doentes se houver uma quantidade suficiente de fumaça no ar", disse o ministério na nota.

As imagens da Amazônia em chamas ganharam os jornais de todo o mundo e colocaram sob xeque as políticas ambientais do governo de Jair Bolsonaro, que foi criticado por várias lideranças europeias, em especial o presidente da França, Emmanuel Macron, pela situação.

Meio Ambiente