PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Conteúdo publicado há
15 dias

Governo afasta investigados em operação contra exportação ilegal de madeira

Eduardo Fortunato Bim, presidente do Ibama, foi afastado pelo governo - Divulgação
Eduardo Fortunato Bim, presidente do Ibama, foi afastado pelo governo Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL

01/06/2021 12h04

O governo federal oficializou hoje o afastamento de sete investigados na operação Akuanduba, deflagrada pela Polícia Federal em 19 de maio, que investiga exportação ilegal de madeira.

O afastamento dos servidores foi publicado em duas portarias no Diário Oficial da União, assinadas pelo ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que também é investigado pela operação.

Os agentes, que atuavam no Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e no Ministério do Meio Ambiente, foram afastados de suas funções por 90 dias a partir de 19 de maio.

Foram afastados:

  • Eduardo Fortunato Bim, presidente do Ibama
  • Olivaldi Alves Borges Azevedo, secretário adjunto da Secretaria de Biodiverside do Ibama
  • Leopoldo Penteado Butkiewcz, assessor especial de Salles
  • Olímpio Ferreira Magalhães, diretor de proteção ambiental do Ibama
  • João Pessoa Riograndense Moreira Júnior, diretor de uso sustentável e da biodiversidade e florestas do Ibama
  • Rafael Freire de Macedo, coordenador-geral de monitoramento do uso da biodiversidade e comércio exterior do Ibama
  • Wagner Tadeu Matiota, superintendente de apurações de infrações ambientais do Ibama.


Operação Akuanduba

A operação da PF apura crimes contra a administração pública praticados por empresários do ramo madeireiro e agentes públicos. No dia 19 de maio, foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos endereços do ministro Ricardo Salles em São Paulo, Brasília e no gabinete que ele montou no Pará.

Também foi determinada a quebra de sigilo bancário e fiscal do ministro e dos servidores do Ibama.

A Procuradoria Geral da República enviou ontem ao STF (Supremo Tribunal Federal) um pedido de abertura de inquérito para investigar Salles. O ministro, por sua vez, pediu para que seja ouvido a respeito das investigações.

Meio Ambiente