PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Em um mês, nível do Cantareira baixa 6,2 pontos percentuais

27.08.2021 - Represa Jaguari, em Piracaia, no interior de São Paulo, que faz parte do Sistema Cantareira, durante a seca - Bruno Santos/Folhapress
27.08.2021 - Represa Jaguari, em Piracaia, no interior de São Paulo, que faz parte do Sistema Cantareira, durante a seca Imagem: Bruno Santos/Folhapress

Letícia Mutchnik

Do UOL, em São Paulo

25/09/2021 04h00

O nível do Sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de 8,8 milhões de moradores da Grande São Paulo, baixou 1,6 ponto percentual desde a semana passada. Ontem, o sistema operava com 31,9% de sua capacidade. Na sexta-feira (17) anterior, o índice era de 33,5%. As informações são da Sabesp, a companhia de saneamento básico do estado.

O Cantareira opera em alerta desde 6 de setembro —quando chegou a menos de 35% de sua capacidade.

Se considerarmos o período de um mês, a queda no nível de água foi de 6,2 pontos percentuais —em 24 de agosto, o índice era de 38,1%.

O inverno —estação encerrada nesta semana— normalmente é um período de menos chuvas. Mas a queda no nível do reservatório preocupa especialistas.

Em 2013, pré-crise hídrica no estado, a redução no volume de água armazenada no Cantareira foi de 17% durante o inverno. Neste ano, foi de 25%.

Veja o nível dos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo, segundo a Sabesp:

  • Alto Tietê: 41,2% (-0,3% em relação à semana passada)
  • Guarapiranga: 46,2% (-0,9%)
  • Cotia: 51,9% (-1,9%)
  • Rio Grande: 75,3% (+1,6%)
  • Rio Claro: 38,8% (+0,4%)
  • São Lourenço: 53,1% (-0,1%)

Meio Ambiente