Doria nega ter usado disparos de mensagens via WhatsApp para atacar Skaf

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

  • Luís Adorno/UOL

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria (PSDB), negou neste sábado (27), um dia antes do segundo turno, que tenha feito uso de disparos de mensagens por meio do WhatsApp, para atacar Paulo Skaf (MDB) -- terceiro colocado no primeiro turno.

"É impressionante a produção de fake news pelo meu adversário. Nós não fizemos isso, nós já falamos. Absolutamente falsa. Não temos necessidade de fazer qualquer acusação", afirmou.

Veja também:

"Não estou acusando a matéria. A matéria se baseia numa notícia falsa. A notícia não é verdadeira e nós já desmentimos", complementou.

O UOL revelou neste sábado, 27, que uma agência de disparo de mensagens enviou conteúdo negativo contra Skaf. A mesma empresa também distribuiu material virtual de teor positivo para Doria.

Doria negou o caso durante ato de campanha realizada no fim da manhã deste sábado, 27, no bairro do Capão Redondo, zona sul da capital paulista. Na reta final do segundo turno, Doria intensificou sua agenda na periferia. Na última semana, visitou Parelheiros, na zona sul, e Itaquera, na zona leste da capital.

O tucano também falou sobre "o nível sujo da campanha", comentou que não vê necessidade de ação policial em universidades e comentou a declaração de voto de Joaquim Barbosa ("cada um faz sua escolha"). 

Tem regra: entenda como o WhatsApp é enquadrado na lei brasileira

Receba notícias do UOL. É grátis!

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos