PUBLICIDADE
Topo

General Ramos defende Bolsonaro e ataca prefeitos: 'estão fechando cidade'

General Ramos defende atuação de Bolsonaro: "elemento que está coordenando o processo" - MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO
General Ramos defende atuação de Bolsonaro: "elemento que está coordenando o processo" Imagem: MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

01/04/2020 13h22

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, se manteve ao lado do presidente hoje ao comentar as ações de Jair Bolsonaro (sem partido) para lidar com as consequências da pandemia do coronavírus. Ramos vê Bolsonaro "fazendo tudo que é possível", diferentemente dos prefeitos, que receberam duras críticas do ministro.

"Tem prefeito fechando cidade. Você sabia disso? Tem prefeito que não tem autoridade para fazer isso botando bloqueio na entrada e na saída da cidade. Está errado", disse o general em entrevista à Radio Bandeirantes, preferindo focar nas medidas tomadas pelos municípios.

"Aí tem prefeito achando que está fazendo a coisa certa para o pessoal não sair de casa. Mas e o cara que trabalha no hospital, o bombeiro, o policial? Ele não pode andar porque alguém, meio apavorado, decidiu que ninguém sai. Não é assim", acrescentou Ramos, em referência às ações de distanciamento social.

Ramos também criticou a redução na frota do transporte público em cidades como São Paulo, que teve uma diminuição de 40% nos ônibus. "Tem cidade que cortou os ônibus em 40%, 50%, mais até, de ônibus para evitar as pessoas de se deslocarem. O que acontece? Essa classe dos serviços essenciais está se amontoando dentro dos ônibus. Olha a incoerência", disse.

Sobre a condução da crise do coronavírus pelo governo federal, Ramos vê Bolsonaro como o "elemento que está coordenando o processo". O general ainda justificou a demora na definição sobre a ajuda econômica de R$ 600 mensais que o governo prometeu a trabalhadores autônomos.

"Eu posso dizer que o presidente fica com o coração dele extremamente agoniado", afirmou. "Essa medida vai atender cerca de 58 milhões de pessoas. Então não pode ser uma coisa malfeita."

Mandetta garantido e epidemia sob controle

O general ainda comentou sobre a possível demissão do Ministro da Saúde. "O ministro Mandetta está fazendo o trabalho dele. Não tem motivo para mandar o Mandetta embora", garantiu.

Ramos vê o país no controle da epidemia da covid-19, sem motivos para pânico. "O Brasil está num número, a tal da curva (de contaminação do coronavírus) que o Mandetta tem falado, que dá uma certa, não digo tranquilidade, mas para evitar o terror", disse. "Não está morrendo muito jovem."

O ministro até confrontou o apresentador José Luiz Datena sobre a mídia focar apenas nas notícias sobre o coronavírus. "O mundo parou, Datena? Ninguém mais morre de infarto, de acidente, de câncer? Só se morre de coronavírus?", indagou Ramos.

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Coronavírus