PUBLICIDADE
Topo

Esse conteúdo é antigo

Senado diz que Pazuello passou mal, e ex-ministro nega; sessão volta na 5ª

Luciana Amaral, Gilvan Marques e Letícia Lázaro

Do UOL, em Brasília e em São Paulo, e colaboração para o UOL, em São Paulo

19/05/2021 17h18Atualizada em 19/05/2021 20h09

O Senado informou que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello passou mal durante intervalo da CPI da Covid, na tarde de hoje, e a sessão foi suspensa. A retomada do depoimento foi marcada para as 9h de amanhã.

Pazuello foi atendido pelo médico e senador Otto Alencar (PSD-BA), que disse ter encontrado o ex-ministro sentado e pálido na sala do cafezinho.

"Eu vi que ele estava assim. Falei com ele, mudei de posição. Ele ficou deitado. Elevamos os membros superiores e voltou a ter circulação normal no cérebro. É uma síndrome que acontece muito com quem está com distúrbio nervoso", explicou Alencar.

O presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), achou mais prudente suspender a sessão e transferir o restante do depoimento de Pazuello para amanhã.

"O [ex-]ministro Pazuello disse que estava em plenas condições de continuar respondendo. Ele falou 'olha, estou à disposição'. Eu disse 'temos 24 senadores para falar, não sabemos o horário que a sessão vai acabar. Acho mais prudente a gente retomar amanhã'", ressaltou Aziz, em coletiva.

Ao deixar o Congresso, o ex-ministro da Saúde, no entanto, negou que tenha se sentido mal e afirmou que a sessão foi adiada devido ao horário. "Não passei mal. Não aconteceu nada. Amanhã [o depoimento] continua", disse Pazuello. "Por que foi suspensa a sessão então?", questionou uma repórter. "Por causa do horário", respondeu.

Em mais de sete horas de depoimento, Pazuello blindou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de eventuais responsabilidades, negou ordem do Palácio do Planalto para recusar a CoronaVac, relativizou a crise estabelecida em Manaus (AM) por falta de oxigênio e disse ter deixado o Ministério da Saúde com "missão cumprida".

Parlamentares também acusaram Pazuello de mentir em relação à ajuda de um avião para transportar oxigênio oferecida pelos Estados Unidos. O advogado da AGU (Advocacia-Geral da União) que o acompanhava na sessão orientou o ex-ministro a ficar em silêncio. (Assista ao vídeo abaixo)

A CPI da Covid foi criada para apurar as ações do governo federal no enfrentamento da pandemia da covid-19, que já matou 439.379 mil pessoas no Brasil, de acordo com dados do consórcio, do qual o UOL faz parte.

Os depoimentos dos ex-ministros da Saúde do governo Bolsonaro devem ajudar a esclarecer se a gestão federal poderia ter adotado outras medidas para frear o avanço do número de casos do coronavírus no País. A convocação de Pazuello atende a requerimentos aprovados, com pedidos do relator Renan Calheiros (MDB-AL), do vice-presidente Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

No último dia 4, Pazuello havia alegado aos parlamentares que não poderia comparecer presencialmente à CPI sob a justificativa de que assessores próximos haviam se contaminado com a covid-19. O seu depoimento —que estava marcado para o dia posterior— então foi remarcado para esta quarta-feira.

Depoimento de secretária foi adiado

Com a alteração no cronograma, o depoimento de Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e Educação no Ministério da Saúde, que ganhou o apelido de "capitã cloroquina", pela defesa que faz de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid, foi transferido para a próxima terça-feira (25).

O que é síndrome vasovagal?

À TV Senado, o senador Otto Alencar (que também é médico) relatou ter encontrado o ex-ministro sentado e pálido na sala do café durante o intervalo da sessão da CPI.

"É chamada síndrome vasovagal, que acontece muito em pessoas que passam por esse momento tenso —como estava agora— e também por ficar muito tempo em pé como ele estava, sem se alimentar direito", disse o senador.

A síndrome ou síncope vasovagal é uma condição que provoca a diminuição da pressão arterial e dos batimentos cardíacos, originando sintomas como fraqueza, palidez, calor, náuseas, tontura, dor de cabeça e, por fim, o desmaio, conforme explicou reportagem do VivaBem, plataforma de saúde e bem-estar do UOL. A perda da consciência ocorre devido à dilatação dos vasos sanguíneos, por um estímulo inadequado do nervo vago, parte do sistema nervoso autônomo.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria era independente ou de oposição), investigou ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Teve duração de seis meses. Seu relatório final foi enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.