PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
5 meses

Amoêdo: Impeachment de Bolsonaro é mais urgente que construção de 3ª via

Em tuíte, Amoêdo disse que impeachment é "ainda mais urgente" que construção de alianças para 2022 - Marcio Komesu/UOL
Em tuíte, Amoêdo disse que impeachment é "ainda mais urgente" que construção de alianças para 2022 Imagem: Marcio Komesu/UOL

Do UOL, em São Paulo

28/06/2021 13h25Atualizada em 28/06/2021 13h42

Após criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por questões a serem investigadas sobre a compra da Covaxin, João Amoêdo, ex-presidente do Novo, defendeu que o impeachment do atual ocupante do Palácio do Planalto seja colocado como prioridade política.

"Ainda mais urgente do que a construção da 3ª via, é a abertura do processo de impeachment", afirmou Amoêdo em um tuíte no fim da manhã de hoje, pontuando que "estamos atrasados" e divulgando um abaixo-assinado pela abertura do processo de destituição.

Em 11 de junho, cerca de dez dias depois do Novo lançar a pré-candidatura de Amoêdo para 2022, o empresário recuou da postulação. Integrantes do partido têm trabalhado pela candidatura do deputado federal Tiago Mitraud (MG) para o pleito do ano que vem.

Amoêdo, que, nas eleições de 2018, declarou voto ao então candidato e hoje presidente Jair Bolsonaro no segundo turno, hoje, se coloca como opositor ao governo federal e como um dos articuladores por uma candidatura de centro que seja viável para as eleições de 2022.

No fim de março, o banqueiro, os governadores tucanos João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), Luciano Huck e Ciro Gomes (PDT) lançaram um "manifesto pela consciência democrática".

Em abril, Amoêdo se reuniu com o apresentador Danilo Gentili para debater o cenário eleitoral para 2022, visando pensar em uma frente alternativa às candidaturas de Bolsonaro e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Política