PUBLICIDADE
Topo

Dal Piva: Entrevista de Queiroz foi grande surpresa a aliados de Bolsonaro

Colaboração para o UOL, no Rio

24/11/2021 09h24Atualizada em 24/11/2021 11h24

A colunista do UOL Juliana Dal Piva disse a Fabíola Cidral no UOL News desta manhã que a entrevista que Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), deu ontem ao SBT foi vista como "grande surpresa" na base governista. Queiroz foi preso em junho do ano passado, após ser encontrado em um escritório de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro, em Atibaia (SP). Na entrevista, o ex-assessor disse que estava no local após ter sido ameaçado de morte

Segundo a jornalista, aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) classificaram a fala do policial militar reformado como um problema frente ao atual momento da investigação do caso das "rachadinhas".

No último dia 9, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) anulou todas as medidas cautelares que permitiram a coleta de provas contra Flávio Bolsonaro na investigação conduzida pelo MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro), iniciada em novembro de 2019. Com isso, a apuração do caso volta a ter apenas as provas que tinha antes da quebra de sigilo do senador.

"Era um momento avaliado como positivo para o senador Flávio Bolsonaro. Não se queria mexer nesse assunto. E aí essa entrevista, que é cheia de buracos, não explica várias coisas, deixa essa sensação de problema, de que esse problema volta à tona", disse Dal Piva.

Essa ameaça de morte, da maneira como relata... Queiroz nunca registrou boletim de ocorrência de ameaça, nunca comunicou ao Ministério Público que estava correndo risco. Não existe nenhum lastro para versão de que ele foi para lá por causa de uma ameaça.
Juliana Dal Piva

'Discurso combinado'

Dal Piva lembrou que, na época da prisão de Queiroz, Wassef também justificou asilo ao policial em seu escritório falando em ameaça de morte. Na entrevista de ontem, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro disse que poderia ser vítima de "queima de arquivo".

"Parece que se combinou esse discurso. É um discurso muito parecido, e ninguém estava ali cobrando do Queiroz essa explicação nesse momento", afirmou Dal Piva.

A colunista do UOL avalia a entrevista como uma "cobrança de atenção" por parte de Queiroz em relação à família Bolsonaro. Ela também mencionou a vontade do PM de concorrer ao cargo de deputado federal nas eleições do ano que vem, conforme noticiou em junho.

A jornalista ainda viu uma contradição na entrevista de Queiroz ao dizer que não conhecia Wassef. Ela observou que, ao se referir ao advogado ontem, o PM o chamou de "Fred".

Fred é a maneira como as pessoas mais próximas ali, que têm um contato com o Frederick Wassef, se referem a ele, chamam ele de doutor Fred.
Juliana Dal Piva

A entrevista completa está disponível no site do SBT.