PUBLICIDADE
Topo

Política

Curitiba: Conselho de Ética vota pela cassação do vereador Renato Freitas

O vereador Renato Freitas (PT-PR) em protesto em igreja de Curitiba - Reprodução
O vereador Renato Freitas (PT-PR) em protesto em igreja de Curitiba Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

10/05/2022 22h42

O Conselho de Ética da Câmara municipal de Curitiba aprovou hoje o parecer pela cassação do vereador Renato Freitas (PT). O petista virou alvo de um processo por quebra de decoro parlamentar após participar de uma manifestação pelos assassinatos de Moïse Kabagambe e Durval Teófilo Filho, organizada pelo Coletivo Núcleo Periférico, na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Foram cinco votos pela cassação, um pela suspensão do mandato por seis meses, e outro pelo arquivamento. Agora, a decisão será submetida ao Plenário da Casa, e precisa dos votos de 20 dos 38 vereadores para efetivar a cassação.

A defesa do vereador tem cinco dias úteis para recorrer da decisão junto à CJJ (Comissão de Constituição e Justiça). Caso a comissão não acate o pedido da defesa, a Câmara terá o prazo de três sessões para marcar o julgamento do vereador.

Ontem, às vésperas da análise, Freitas disse ter recebido, em seu e-mail oficial da Câmara de Curitiba, uma mensagem racista. O texto, que supostamente teria sido encaminhado pela conta do também vereador Sidnei Toaldo (Patriota), dizia: "Volta para a senzala", e tinha outras ofensas, como mostrou o site Brasil de Fato.

"A Câmara de vereadores de Curitiba não é seu lugar, Renato. Volta para a senzala. E depois de você vamos dar um jeito de cassar a Carol Dartora e o Herivelto", diz um trecho do e-mail, que finaliza dizendo: "vamos branquear Curitiba e a região Sul, queira você ou não. Seu negrinho."

Política