Justiça autoriza ex-diretor da PRF a receber material de estudo na cadeia

A Justiça do Distrito Federal autorizou que Silvinei Vasques, ex-diretor da PRF (Polícia Rodoviária Federal) preso desde agosto, receba materiais de estudo para a segunda fase do Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

O que aconteceu

A entrega dos materiais foi autorizada pela juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do DF, na última segunda-feira (4).

Porém, a magistrada proibiu a entrega de alguns materiais solicitados pela defesa, como canetas. "Dentre os materiais listados pela defesa estão canetas hidrográficas, marcadores adesivos de páginas e marcadores de texto que não são materiais comumente usados pelas pessoas presas".

A juíza explica que esses materiais podem causar "subversão da ordem" no Complexo Penitenciário da Papuda. "Canetas e marcadores são objetos pontiagudos e adesivos podem vir a ser usados para circulação de recados e a circulação de todos esses materiais no ambiente carcerário pode ocasionar subversão da ordem, da segurança e da disciplina".

A aprovação no Exame da OAB é necessário para o exercício das atividades como advogado. A primeira fase da prova foi realizada em 19 de novembro, enquanto a segunda etapa será aplicada no dia 21 de janeiro de 2024.

Prisão

Silvinei Vasques, ex-diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, foi preso em agosto último. A PF (Polícia Federal) deflagrou uma operação para investigar suposto uso da máquina pública para interferir nas eleições do ano passado.

Os mandados da operação foram expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Continua após a publicidade

Segundo a PF, integrantes da PRF supostamente direcionaram recursos para dificultar o trânsito de eleitores em 30 de outubro, dia do segundo turno das eleições, sobretudo no Nordeste, região em que o então candidato Lula (PT) teve maioria dos votos no primeiro turno.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora