Josmar Jozino

Josmar Jozino

Siga nas redes
Reportagem

Pretos e pardos são 61,82% dos presos em SP: tráfico de droga supera roubo

Pretos e pardos representam 61,82% dos 150.605 presos e presas mantidos em regime fechado no estado de São Paulo. Os dados são da SAP (Secretaria Estadual da Administração Penitenciária), subordinada ao governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos), e se referem até junho deste ano.

Segundo as estatísticas da SAP, 57.392 (38,11%) dos presos e presas se declararam brancos; 20.505 (13,62%) disseram ser pretos; 72.587; (48,20%) se apresentaram como pardos; 106 (0,07%) são amarelos e a pequena parcela de 15 (0,01%), é formada por indígenas.

Os dados de infração penal indicam porque o PCC (Primeiro Comando da Capital), a maior facção criminosa do País, é forte no sistema prisional e conta com integrantes em 95% das penitenciárias do estado e milhares de faccionados nas ruas.

A organização detém o monopólio do tráfico de drogas no estado. Estão presos por esse tipo de infração penal 57.562 homens e mulheres (38,22%). Os acusados por roubo somam 36.138 (24%). Por furto foram detidos 17.521 (11,63%) e por homicídios 12.270 (8,15%).

A pesquisa de faixa etária traz outro resultado preocupante e mostra que os jovens de 18 a 34 anos são maioria no cárcere paulista. Eles somam 91.583 presidiários. São 29.282 com idades entre 18 a 24; 32.809 entre 25 a 29; e 29.492 entre 30 a 34 anos. Isso equivale a 60,8% dos 150.605 presos.

Em relação ao grau de escolaridade, 43,20% dos presidiários afirmaram ter o ensino fundamental incompleto; 23,76% têm o ensino médio incompleto; 16,32 % ensino médico completo e 1,28% disseram ser analfabetos. Os presos com curso superior completo são 0,77% e incompleto, 1,20%.

As prisões paulistas abrigam em regime fechado 92.718 (61,56%) presidiários e presidiárias condenados; 22.775 (15,12%) condenados sem sentença transitada em julgado e outros 35.112 (23,31 %) prisioneiros e prisioneiras provisórios, aqueles que ainda não foram julgados.

Mulheres traficantes

As estatísticas da SAP mostram ainda que dos 150.605 presos em regime fechado no estado de São Paulo, 144.394 são homens e 6.211 mulheres. A maioria da população carcerária feminina também está presa por tráfico de drogas.

Continua após a publicidade

Elas representam mais da metade das presas: São 3.262 (52,52%) mulheres encarceradas. As detidas por roubo somam 1.073 ou 17,28% do total de 6.211.

Entre a população masculina a situação não é diferente. No cárcere paulista estão recolhidos 54.300 (37,61%) homens presos por tráfico de drogas e 35.065 por roubo ou 24,28% do total de 144.394.

Vale lembrar que não estão incluídos nas estatísticas os 43.497 presos em regime semiaberto e 966 detidos por medidas de segurança, que somados aos 150.605 do regime fechado totalizam 195.068 prisioneiros custodiados pela SAP no estado até 30 de junho deste ano.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes