PUBLICIDADE
Topo

Kennedy Alencar

Trump trava debate com Biden na pior hora; na véspera, covid matou 1.170

Trump e Biden se enfrentam em último debate sob tensão máxima -                                 JIM WATSON, SAUL LOEB / AFP
Trump e Biden se enfrentam em último debate sob tensão máxima Imagem: JIM WATSON, SAUL LOEB / AFP
Kennedy Alencar

O jornalista Kennedy Alencar é correspondente e comentarista da rádio CBN em Washington. Começou sua carreira em 1990 na “Folha de S.Paulo”, onde foi redator, repórter, editor da coluna “Painel” e enviado especial às guerras do Kosovo e Afeganistão. É autor do livro “Kosovo, a Guerra dos Covardes” (editora DBA). Na RedeTV!, apresentou durante cinco anos o programa de entrevistas “É Notícia” e mediou os debates presidenciais de 2010 e municipais de 2012. Estreou como comentarista da rádio CBN em 2011. Criou o "Blog do Kennedy" em 2013. Trabalhou no SBT entre 2014 e 2017. É produtor-executivo e roteirista do documentário “What Happened to Brazil”, realizado para a BBC World News. Com uma versão em português intitulada “Brasil em Transe”, o documentário retrata a crise que começa nas manifestações de junho de 2013, passa pelo impacto da Lava Jato e do impeachment de Dilma na política e na economia e resulta na eleição de Bolsonaro.

Colunista do UOL

22/10/2020 15h50

Donald Trump travará o debate final contra o democrata Joe Biden na pior hora para o presidente republicano. As pesquisas continuam a mostrar sólida dianteira de Biden num momento em que a pandemia de coronavírus voltou a crescer no país. Na quarta-feira, véspera do debate desta noite, morreram 1.170 americanos de covid-19.

Os novos casos da doença voltaram a subir para um patamar preocupante. Internações também cresceram. Estados como Indiana e Oklahoma começam a ficar com hospitais lotados. Especialistas preveem que o outono e o inverno serão uma fase ainda mais difícil da pandemia.

Nesse contexto, o coronavírus deverá ser o principal tema de Biden para enfraquecer Trump.

No primeiro ato de campanha de rua para o candidato democrata, o ex-presidente Barack Obama fez nesta quarta, na Filadélfia, no disputado estado da Pensilvânia, o seu discurso mais duro contra o republicano, explorando justamente essa vulnerabilidade.

"Donald Trump não vai subitamente proteger a todos nós. Ele não conseguiu nem adotar os passos básicos para proteger a si mesmo. (...) Isto não é um reality show. Isto é a realidade. O resto de nós tem de conviver com as consequências de ele [Trump] ter provado ser incapaz de levar o seu trabalho a sério", disse Obama, numa oratória que combinou à perfeição forma e conteúdo como nos velhos tempos.

A 12 dias das eleições de 3 de novembro, o debate final entre Trump e Biden começará às 22h de Brasília (21h de Washington) desta quinta-feira. Será transmitido pelo UOL e BandNews. O confronto é uma das últimas chances para o republicano tentar criar um fato político que modifique o rumo da eleição, que hoje caminha para transformá-lo num presidente de um mandato só.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.