PUBLICIDADE
Topo

Kennedy Alencar

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Lula quer anunciar aliança Haddad-França no sábado em ato em Diadema

Márcio França, que deverá apoiar Haddad em SP -  O Antagonista
Márcio França, que deverá apoiar Haddad em SP Imagem: O Antagonista
só para assinantes
Kennedy Alencar

O jornalista Kennedy Alencar é correspondente e comentarista da rádio CBN em Washington. Começou sua carreira em 1990 na ?Folha de S.Paulo?, onde foi redator, repórter, editor da coluna ?Painel? e enviado especial às guerras do Kosovo e Afeganistão. É autor do livro ?Kosovo, a Guerra dos Covardes? (editora DBA). Na RedeTV!, apresentou durante cinco anos o programa de entrevistas ?É Notícia? e mediou os debates presidenciais de 2010 e municipais de 2012. Estreou como comentarista da rádio CBN em 2011. Criou o "Blog do Kennedy" em 2013. Trabalhou no SBT entre 2014 e 2017. É produtor-executivo e roteirista do documentário ?What Happened to Brazil?, realizado para a BBC World News. Com uma versão em português intitulada ?Brasil em Transe?, o documentário retrata a crise que começa nas manifestações de junho de 2013, passa pelo impacto da Lava Jato e do impeachment de Dilma na política e na economia e resulta na eleição de Bolsonaro.

Colunista do UOL

04/07/2022 12h10Atualizada em 04/07/2022 16h11

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deverá anunciar no próximo sábado (9) a aliança entre PT e PSB para o governo paulista. Está previsto um grande ato em Diadema, no ABC paulista.

No último domingo (3), Lula almoçou na casa do ex-governador Márcio França, pré-candidato do PSB ao governo paulista. Também estavam presentes Geraldo Alckmin (PSB), ex-governador de São Paulo e virtual candidato a vice-presidente do petista, e o ex-ministro Fernando Haddad, pré-candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes. Os quatro almoçaram acompanhados de suas esposas.

Com a saída de José Luiz Datena (PSC) da disputa pelo Senado, Lula fez um apelo para que França desistisse de disputar o governo paulista e hipotecasse apoio a Haddad. Em troca, o PT apoiaria França para o Senado.

Datena era visto como favorito e um empecilho para a desistência de França na disputa ao governo. O obstáculo foi removido. França deve anunciar ao longo da semana que embarcará na campanha de Haddad ao Palácio dos Bandeirantes.

Acordo para 2024

Nos próximos dias, Lula quer fechar a vaga de vice na chapa de Haddad. O ex-presidente está diretamente envolvido nas articulações para montar os palanques nacional e estadual.

O PSOL deseja o posto de vice, mas Haddad e boa parcela do PT resistem. Afirmam que o acordo com o PSOL é apoiar a candidatura de Guilherme Boulos a prefeito em 2024. Para vice, Haddad gostaria de ter um nome que o ajudasse a obter votos em setores mais conservadores, reproduzindo o modelo da chapa Lula-Alckmin.

A exemplo do 2 de Julho na Bahia, Lula quer fazer um grande ato popular no sábado em Diadema. A ideia é anunciar o palanque completo em SP, com as chapas a presidente, governo e Senado fechadas.