PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Justiça condena empresário que chamou Xuxa de 'idiota' e 'imbecil'

Xuxa   - Reprodução/Instagram
Xuxa Imagem: Reprodução/Instagram
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

05/04/2022 12h32

A Justiça de São Paulo condenou o empresário Adriano de Barros Caruso a pagar uma indenização de R$ 30 mil à apresentadora Xuxa Meneghel.

Em fevereiro do ano passado, Caruso, que é presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Bovinos e Bubalinos, publicou um vídeo nas redes sociais chamando a apresentadora de "louca", "idiota" e "imbecil".

O vídeo foi publicado sete meses depois de Xuxa, em ação realizada pela ONG "Mercy for Animals", ter denunciado maus-tratos contra animais suínos em uma granja localizada em Minas Gerais. De acordo com a apresentadora, os animais eram agredidos com bastões e recebiam choques elétricos constantes.

Dizendo não acreditar que as imagens divulgadas por Xuxa tivessem sido captadas no Brasil, o empresário afirmou: "Xuxa Meneghel, se você quiser fazer alguma coisa contra o agro, um setor tão sério, que leva esse país nas costas, não minta, não faça esse tipo de propaganda enganosa".

Na sequência, disparou: "sua irresponsável, não seja inconsequente, respeite o Brasil, respeite o agronegócio, respeite o agro. Tudo o que você vive, tudo o que você faz, tem agro. Sua irresponsável, sua imbecil, sua idiota, sua louca".

Na queixa-crime apresentada à Justiça contra Caruso, Xuxa afirmou que teve sua honra ofendida. "Não há dúvidas de que houve, por parte do querelado [o empresário], uma efetiva transgressão do direito à manifestação ou de, simplesmente, discordar do posicionamento da apresentadora", afirmaram os advogados de Xuxa à Justiça.

Caruso se defendeu no processo argumentando que fez um "desabafo", diante do que chamou de acusações infundadas feitas pela apresentadora contra o setor do agronegócio.

"Xuxa busca a todo momento denegrir o agro nacional perante a comunidade internacional, em verdadeiro boicote ao consumo da carne bovina e suína do Brasil", afirmou à Justiça. "Na condição de figura pública, ela deveria adotar postura mais respeitosa com o país que lhe projetou no cenário internacional."

O juiz Marcelo Andreotti não aceitou a argumentação. Segundo o magistrado, Caruso fez uma manifestação "ofensiva, pessoal e desproporcional".

O empresário, que ainda pode recorrer da decisão, foi condenado a uma pena de quatro meses de detenção, em regime inicial aberto, além da indenização de R$ 30 mil.