PUBLICIDADE
Topo

Polícia na Maré era sinônimo de guerra, hoje é paz, diz Cabral

Henrique Coelho

Do UOL, no Rio

30/03/2014 08h57

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), afirmou na manhã deste domingo (30), em entrevista coletiva, que a ocupação das favelas do Complexo da Maré é sinônimo de paz. “A Maré é uma cidade que se integra à cidade. Quantas pessoas estavam acostumadas a acordar, a conviver com uma pessoa de fuzil, vendo amigos irem indo para o crime, filhos sendo mortos? Quantas vezes a entrada da polícia na Maré era sinônimo de guerra?”, questionou o governador. “Hoje, é sinônimo de paz.”

As polícias Militar e Civil do Rio ocuparam as 15 comunidades da Maré nesta madrugada. Cerca de 130 mil moradores residem no complexo, de acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública.

“As pessoas que passam na avenida Brasil, que passam na Linha Vermelha não fazem ideia de que aquele povo ali (...) vivia em outro universo, em outra realidade”, afirmou ainda Cabral.

Em 15 minutos, a polícia deu a favela como ocupada, mas a ação continua. Não houve resistência, ainda de acordo com a secretaria. Pelo menos quatro pessoas foram presas durante a ocupação policial. Uma delas é Dayane Rodrigues, namorada do traficante conhecido como Menor P, chefe do tráfico em várias comunidades da Maré e que foi preso nesta semana na zona oeste do Rio.

Dayane protagonizou uma confusão envolvendo o jogador Bernardo, do Vasco, em abril do ano passado. Na ocasião, o jogador foi acusado por Menor P de manter um relacionamento com a jovem. Bernardo sofreu tortura psicológica e foi ameaçado de morte.

A divisão de elite da PM, o Bope (Batalhão de Operações Especiais), está na linha de frente da ação e ficou responsável pelas comunidades Parque União e Nova Holanda. Homens do Batalhão de Choque, do BAC (Batalhão de Ações com Cães), do GAM (Grupamento Aeromóvel), entre outras unidades, participam da operação nas comunidades restantes.

O Complexo da Maré é considerada uma das áreas mais violentas do Rio do Janeiro, onde um engenheiro morreu baleado na cabeça ao entrar por engano no local e onde dez pessoas morreram durante uma troca de tiros entre traficantes e policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Especiais) no ano passado.

70 prisões em uma semana

As favelas que formam o Complexo da Maré são alvo de operações da PM desde o dia 21 de março. Segundo o tenente coronel Claudio Costa, relações públicas da PM, desde então foram presas 70 pessoas, além da apreensão de 20 pistolas, fuzis e grande quantidade de drogas.

Cotidiano