PUBLICIDADE
Topo

Delegado baleado em briga com namorada é armamentista e bolsonarista

Paulo Bilynskyj, delegado em SP - Arquivo pessoal
Paulo Bilynskyj, delegado em SP Imagem: Arquivo pessoal

Do UOL, em São Paulo

21/05/2020 04h00

O delegado Paulo Bilynskyj, 33, internado em um hospital de Santo André (SP) após ser baleado na manhã de ontem, em seu apartamento, não esconde ser bolsonarista, armamentista e contra pautas majoritariamente de esquerda.

O delegado afirmou que sua namorada, a modelo Priscila Delgado de Bairros, 27, tentou matá-lo, depois de ver uma mensagem que não gostou. Ainda segundo ele, a mulher se matou na sequência.

A Polícia Civil e a Corregedoria da corporação investigam se a versão dele é verdadeira ou se ocorreu um feminicídio.

Bilynskyj contou que a namorada atirou seis vezes contra ele. Policiais civis dizem que os tiros atingiram dedo, perna e abdômen do delegado.

Investigadores da Polícia Civil dizem ser cedo para saber ao certo o que ocorreu. No entanto, a versão apresentada pelo delegado contrasta com o perfil da modelo. Ela costumava fazer curso de tiro. Em tese, dizem os investigadores, não erraria seis tiros numa curta distância. Além disso, ela foi encontrada com a marca de tiro na altura do peito na região lateral do corpo, o que também não é comum em casos de suicídio.

Bilynskyj foi operado ontem e seu quadro é estável.

Críticas aos Direitos Humanos

Com passagem pelo DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), atualmente o delegado é plantonista no 101º DP (Distrito Policial), no Jardim das Imbuias, zona sul de São Paulo.

Bilynskyj é, além de delegado, professor em um curso preparatório. Ativo nas redes sociais, costuma publicar posts sobre a sua rotina.

Entre as postagens, muitas referências armamentistas, uma vez que defende o uso de armas para proteção, elogios à família Bolsonaro, críticas a esquerda, mulheres e Direitos Humanos. Muitos dos comentários têm conotação machista.

Recentemente, questionou no Twitter: "O que mulher faz, além de iludir?". E também escreveu que "a cada 3 segundos uma mulher ilude 10 homens no Brasil".

Ele também fez uma live no YouTube com o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, a quem costumava elogiar nas redes sociais.

No Instagram, na manhã de ontem, criticou a atriz Bruna Marquezine por ela prestar uma homenagem a João Pedro, de 14 anos, morto em uma operação policial no Rio de Janeiro. "Deixa a verdade de lado, o que importa é lacrar, é pré julgar os policiais, é falar merda daqueles que se arriscam todos os dias", escreveu.

Anteontem, Bilynskyj postou uma ilustração que representaria Jesus Cristo ensinando uma criança a atirar.

Numa postagem no dia 7 de maio, classificou o feminismo como "uma linha de pensamento extremamente destrutiva". Ele argumentou que o feminismo "ataca a mulher, o homem e a família".

Namorada morta

O delegado Paulo Bilynskyj, 33, e a modelo Priscila Delgado de Bairros, 27 - Arquivo pessoal
O delegado Paulo Bilynskyj, 33, e a modelo Priscila Delgado de Bairros, 27
Imagem: Arquivo pessoal
A mulher foi encontrada morta no banheiro do apartamento, em São Bernardo do Campo.

Ele foi socorrido por vizinhos ao hospital Green Line. Depois, foi transferido para o hospital Mário Covas, em Santo André.

Em nota, a SSP (Secretaria da Segurança Pública) afirmou que "todas as circunstâncias relativas aos fatos serão apuradas em inquérito policial pelo órgão corregedor da instituição".

Segurança pública