PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Colegas e pacientes homenageiam médica morta em pronto-socorro de SP

Médica foi encontrada morta durante plantão no litoral de SP - Reprodução/Facebook
Médica foi encontrada morta durante plantão no litoral de SP Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

26/01/2022 13h43Atualizada em 26/01/2022 13h43

Colegas, pacientes e familiares de Ana Carolina Borges Gorga usaram as redes sociais para compartilhar lembranças da médica de 30 anos, encontrada morta na madrugada de segunda-feira (24) durante um plantão que realizava no Pronto-Socorro Central, em Cubatão, no litoral paulista.

O caso foi registrado como morte suspeita e a causa do óbito ainda será esclarecida pelas investigações da Polícia Civil. Nas mensagens em homenagem à profissional de saúde, conhecidos de Ana destacaram seu comprometimento com o trabalho e seu jeito meigo com as pessoas com quem convivia.

"Meus sentimentos aos pais, familiares e amigos. Deus conforte o coração de todos. Minha médica, minha carretinha com mãos de fada, meu coração está dilacerado...", escreveu uma paciente de Ana na postagem de uma amiga da família da médica.

"Vai com Deus Aninha, foi um privilégio passar por sua vida e fazer parte da sua história. Sua gentileza e dedicação com todos eram dignas de um anjo na terra. Agora vai ser acolhida por Deus em um bom lugar", escreveu um colega de trabalho da moça.

Nas redes sociais, Ana Carolina informava que era natural de Cardoso, no interior de São Paulo. Formada em medicina na UNIPAC/FUPAC (Universidade e Faculdade Presidente Antônio Carlos), localizada em Minas Gerais, ela trabalhava como cirurgiã-geral e fazia residência em cirurgia plástica.

"Carol, minha linda! Estamos com o coração partido, você sempre muito doce, meiga, profissional competente, amiga de todos, amamos você! Foi um anjo aqui na terra e com certeza continuará sendo no céu!! Deus está te recebendo agora e confortando os familiares, vai em paz", escreveu outro colega de trabalho da médica.

"Sem acreditar, tantos papos juntas, tantas conversas, tantos plantões. Que Deus dê o conforto para a família. Descansa em paz, minha amiga", completou uma outra profissional que dividiu a rotina com Ana.

Em nota enviada ontem ao UOL, a Prefeitura de Cubatão, por meio da Secretaria de Saúde, lamentou "profundamente" a morte da médica. "A Secretaria de Saúde e a administração do PSC colaboram com as autoridades policiais responsáveis pela investigação da causa da morte."

O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) também lamentou e informou que Ana estava com o seu registro no Conselho ativo. A instituição ainda disse que "espera que as autoridades competentes esclareçam os fatos".

"Meus mais sinceros sentimentos a todos os familiares, que Deus possa confortar a todos, foi um privilégio trabalhar com ela, Era uma pessoa muito meiga, carinhosa e muito competente, se dedicava muito aos seus pacientes. Com certeza o nosso Senhor Jesus já acolheu ela em seus braços", escreveu uma outra parceira de trabalho.

Cotidiano