PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

'Cracolândia': 2º dia de tensão termina com 6 presos e nova praça ocupada

Do UOL, em São Paulo

11/05/2022 22h15

O segundo dia consecutivo de conflito entre agentes de segurança e a população da região conhecida como "cracolândia", comumente frequentada por dependentes químicos, no centro de São Paulo, terminou com seis presos e a praça Marechal Deodoro ocupada após a retirada de barracas da praça Princesa Isabel, onde funcionava o comércio de drogas a céu aberto.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), quatro pessoas foram presas em flagrante pelo tráfico de entorpecentes e outras duas, após cumprimento de mandados. Ao todo, 20 pessoas foram detidas durante a ação, sendo 14 liberadas pela polícia.

Mais um dia de tensão

Após uma terça-feira (10) de confusão e quebra-quebra, a região recebeu, ainda na madrugada desta quarta (11), uma força-tarefa que mobilizou 650 agentes das polícias Civil, Militar e GCM (Guarda Civil Metropolitana) para retirar cerca de 500 dependentes químicos da praça Princesa Isabel. Além disso, funcionários da prefeitura fizeram a retirada de barracas e de objetos no local até o início da tarde de hoje. Ao UOL, agentes da GCM disseram que não será mais permitido montar barracas na praça.

Moradores do centro afirmaram que havia helicópteros sobrevoando a região desde antes do amanhecer, com a movimentação policial se iniciando por volta de 4h. Vídeos que circulam nas redes sociais desde domingo mostram que dependentes químicos e pessoas em situação de rua já vinham sendo dispersados por policiais militares na área.

Na ação de hoje, os agentes mantiveram um cordão de isolamento, impedindo a circulação de veículos nas imediações. Só ônibus e viaturas circulavam pela avenida Rio Branco.

Assistentes sociais registravam pessoas no entorno para encaminhá-las a um abrigo, onde teriam acesso a banho e refeição. Das 163 pessoas atendidas, 17 aceitaram seguir para os SIATs (Serviço Integrado de Acolhida Terapêutica), informou a SMADS (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social).

Mesmo após a ação, o UOL observou que, por volta das 15h, havia cerca de 150 usuários de drogas concentrados na avenida Rio Branco, próximo da esquina com a Duque de Caxias, a apenas 50 metros do local de onde foram retirados.

Ao longo da tarde, houve novas intervenções quando dependentes químicos tentaram voltar à praça Princesa Isabel, mas foram impedidos por guardas municipais. Carros que trafegavam pela região chegaram a ser alvo de pedradas. Por volta das 18h15, dezenas de pessoas se deslocaram em direção à avenida Angélica e se concentraram na praça Marechal Deodoro, onde bancas foram montadas.

Balanço

Durante a ação de hoje, segundo a Polícia Civil, foram apreendidos:

  • Quatro tijolos fracionados e diversas pedras de crack;
  • Dois tijolos e 118 porções de maconha;
  • 209 porções de cocaína;
  • 19 balanças de precisão;
  • Duas armas de fogo falsas;
  • 11 facas;
  • Um martelo;
  • Um celular;
  • Munições;
  • R$ 3.640,00 em espécie

Investigação

Com base em dois meses de investigação com vídeos produzidos por agentes infiltrados, a Polícia Civil identificou a ação de 36 suspeitos de integrar o tráfico de drogas da "cracolândia". Dos 36 mandados de prisão expedidos, dois foram cumpridos hoje, além de um mandado coletivo de busca e apreensão.

Agora, a Polícia Civil tenta identificar outras pessoas que atuavam a serviço do tráfico, como as chamadas travessias, encarregadas de levar as drogas a hotéis nas imediações da "cracolândia". A investigação também mira os responsáveis pela segurança e as pessoas que armam as barracas para o consumo de drogas.

Segurança pública