Conteúdo publicado há 3 meses

Quarto grupo de reféns libertados de Gaza chega a Israel

O quarto grupo de reféns libertados pelo Hamas após acordo com Israel chegou ao país. A informação é das Forças de Defesa de Israel.

O que aconteceu

As Forças de Defesa de Israel informaram a chegada em comunicado e deram boas-vindas aos reféns: "As forças especiais das FDI e as forças da ISA estão atualmente acompanhando 11 reféns libertados em território israelense", diz a nota.

"Depois de passarem por uma avaliação médica inicial do seu estado de saúde, as nossas forças irão acompanhá-los até que se reencontrem com as suas famílias", informou o IDF.

A IDF pede ao público que "demonstre paciência e sensibilidade durante este período, por respeito aos reféns libertados e às suas famílias".

A Cruz Vermelha também confirmou a libertação: "facilitamos com sucesso a libertação e transferência de 11 reféns detidos em Gaza". A organização explicou que "não esteve envolvida nas negociações" e que seu único papel "foi facilitar o acordo como intermediário neutro".

Os libertados de Gaza incluem 3 cidadãos franceses, 2 cidadãos alemães e 6 cidadãos argentinos, segundo informações do ministério das Relações Exteriores do Qatar, mediador do acordo.

O Hamas divulgou um vídeo do momento no qual os reféns são entregues à Cruz Vermelha. "O momento em que Al-Qassam entregou à Cruz Vermelha o quarto lote de prisioneiros e detidos israelitas, como parte do acordo de trégua humanitária", diz o texto.

Continua após a publicidade

Trégua continua por mais dois dias

Hoje, a trégua em Gaza foi prorrogada por dois dias. A decisão foi anunciada no canal de informações do grupo extremista no Telegram e pelo Qatar.

Hamas e Israel iniciaram trégua na sexta-feira (24) para a troca de reféns. Seriam três prisioneiros palestinos para cada refém israelense liberto. Cerca de 50 crianças e mulheres mantidas reféns em Gaza deverão ganhar a liberdade nos quatro dias de cessar-fogo.

Hamas divulgou nomes de palestinos que serão libertados por Israel. Lista tem 33 pessoas, sendo três mulheres e 30 meninos menores de idade. Relação de palestinos foi publicada no canal de notícias do Hamas no Telegram.

As crianças são de Jerusalém e de cidades da Cisjordânia ocupada, incluindo Ramallah, Jenin, Hebron e Nablus, entre outras.

Continua após a publicidade

Terroristas acenando 'não enconderão brutalidade do Hamas'

Israel critica vídeos do Hamas mostrando libertação de reféns. O porta-voz da IDF disse que "dezenas de vídeos de terroristas acenando não esconderão a brutalidade do Hamas".

Hagari também falou sobre a libertação de Elma Avraham, de 84 anos, que chegou em estado crítico a Israel no terceiro grupo libertado após o acordo com o Hamas. "Quando ela foi libertada do cativeiro, ela estava em estado crítico. Elma é um lembrete de nossa missão crítica. Agora ela está em casa [em Israel] e sendo cuidada. Mas quem está cuidando dos outros reféns em Gaza", disse.

"Durante o massacre do Hamas em 7 de outubro, Elma foi feita refém por terroristas selvagens. Ela foi arrastada para Gaza na garupa de uma motocicleta. Ela esteve em cativeiro do Hamas por 51 dias e noites. Ela foi mantida em condições difíceis, foi negada a medicação que salva vidas e não foi visitada pela Cruz Vermelha", destacou o porta-voz da IDF.

Hamas já havia libertado 58 reféns

Hamas divulga vídeo da libertação de primeiros reféns após cessar-fogo
Hamas divulga vídeo da libertação de primeiros reféns após cessar-fogo Imagem: Divulgação/Hamas, via Telegram
Continua após a publicidade

Até domingo, o Hamas já havia libertado 58 reféns entre os previstos no acordo. Todos tinham sido sequestrados no dia 7 de outubro.

O grupo extremista libertou 17 reféns no domingo (26), terceiro dia de trégua na guerra com Israel. Foram 13 israelenses, três tailandeses e um russo entregues ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha. Israel, em troca, soltou outros 39 prisioneiros palestinos.

Outros 17 reféns foram soltos no sábado (25), no segundo dia da trégua, sendo 13 israelenses e 4 tailandeses. Em troca, 39 palestinos que estavam detidos em Israel voltaram à Cisjordânia.

Na sexta-feira (24), foram 13 reféns israelenses liberados. Além deles, 10 tailandeses e um filipino que também foram libertados no primeiro dia de acordo. Do lado israelense, 39 prisioneiros palestinos, sendo 24 mulheres e 15 adolescentes foram libertados.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes