Conteúdo publicado há 1 mês

Shahed-136: conheça o 'drone suicida' usado pelo Irã no ataque a Israel

O ataque do Irã a Israel no sábado (13) teve como uma das estratégias o lançamento de dezenas de drones do modelo Shahed-136.

O que é o Shahed-136

Trata-se de um 'drone suicida'. Segundo o site de notícias especializado em armamentos Army Technology, o dispositivo começou a ser fabricado em 2021.

O drone foi desenvolvido pela Shahed Aviation Industries, do Irã. A fabricação ficou a cargo da Corporação de Indústrias de Fabricação de Aeronaves Iraniana (HESA, em inglês).

As dimensões do dispositivo. Com seu formato no design de asa delta, o drone Shahed-136 mede 3,5 metros de comprimento e 2,5 metros de largura. A faixa de alcance é de 2.500 km. A velocidade máxima é de 185 km/h, segundo informações técnicas do Army Technology.

Shahed-136, drone usado pelo Irã no ataque a Israel
Shahed-136, drone usado pelo Irã no ataque a Israel Imagem: Reprodução/Youtube

Por que foi escolhido para o ataque? O drone pesa 200kg e pode transportar até 40kg de ogivas na seção do nariz. Além disto, pode ser montado e lançado a partir de um caminhão militar ou comercial. A munição foi projetada para atacar alvos terrestres à distância.

Para além do Irã. A Rússia comprou os drones Shahed-136 para utilizar no conflito contra a Ucrânia.

O que se sabe sobre o ataque do Irã

O Irã diz que ataque foi uma retaliação ao bombardeio de Israel contra o consulado iraniano na Síria. Explosão matou dois líderes militares do Irã. O governo israelense nunca assumiu que tenha feito esse ataque, mas não negou.

Continua após a publicidade

Ofensiva iraniana começou durante a madrugada, no horário local. Ao menos 300 artefatos foram disparados. Após o início dos ataques, sirenes de emergência soaram em Israel e o "Domo de Ferro", como é conhecido o sistema de defesa israelense contra mísseis balísticos, entrou em ação.

Israel diz que bloqueou 99% dos mísseis disparados. O porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Daniel Hagari, disse que os sistemas defensivos do país continuam em "total funcionamento".

O governo iraniano afirma, porém, que o "Domo de Ferro" falhou. O sistema avançado permite identificar e abater lançamentos de inimigos que sobrevoam o território israelense, mas o Irã diz que alvos previstos foram atingidos com sucesso. Há confirmação de ao menos uma base militar bombardeada, mas Israel disse que os danos foram pequenos.

Menina de 7 anos foi atingida e está em estado grave. A garota foi atingida enquanto dormia, na cidade de Arad, a cerca de 85 quilômetros de Jerusalém. Segundo a imprensa local, ela foi atingida na cabeça por estilhaços de um míssil, passou por cirurgia e está em acompanhamento na UTI.

Irã diz que operação já acabou

O governo iraniano citou o ataque como "caso encerrado". O chefe das Forças Armadas, Mohammad Bagheri, disse que a partir de agora o Irã não tem "nenhuma intenção" de dar sequência à operação. Mas o país também alerta para que Israel não ataque de volta. Se isso acontecer, o Irã diz que fará novas ofensivas.

Continua após a publicidade

Presidente disse que ensinou "lição inesquecível" a Israel. Em pronunciamento oficial, Ebraim Raisi afirmou que o país "virou uma página e ensinou uma lição" ao "inimigo sionista". Ele também acusou Israel de ser o responsável por crise no Oriente Médio. "O Irã atribui a causa profunda da crise na região às políticas genocidas e violentas do regime sionista", afirmou Raisi.

Deixe seu comentário

Só para assinantes