Topo

Na Rio + 20, ministra critica diferença de salários entre homens e mulheres

Mônica Villela Grayley

Da Rádio ONU, no Rio de Janeiro

20/06/2012 13h51

A ministra-chefe da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, afirmou que a inclusão feminina é vital para qualquer discussão sobre desenvolvimento sustentável.

Eleonora Menicucci fez a declaração durante uma entrevista à Rádio ONU, na última terça-feira (19), no Rio de Janeiro.

Patriarcado

A ministra está na cidade para participar da Rio + 20.

"A inclusão de gênero na sustentabilidade começou. E nós temos muito que aprofundar esta inclusão. Mas a mensagem que eu passo para as mulheres brasileiras, e aí as mulheres do planeta também, é que a esperança para nós é fundamental.  Nós que vivemos numa relação de patriarcado, nós temos que acreditar que o mundo está mudando. E eu tenho convicção que está."

Ao comentar alguns desafios enfrentados pelas mulheres no Brasil e no mundo, a ministra citou a desigualdade no mercado de trabalho no que diz respeito aos salários pagos a homens e mulheres.

Empresas

"Esta questão do trabalho e do salário das mulheres não ser igual a dos homens é uma questão patriarcal e tem que mudar. Com a cultura, nós temos alguns projetos de equidade de gênero e raça que vão para as empresas para fazer um diagnóstico sobre quanto elas ganham, quanto os homens ganham. Mas também nós estamos na batalha efetiva para mostrar que qualquer trabalho desenvolvido pela mulher é um trabalho que tem um valor produtivo para o PIB nacional."

A ministra Eleonora Menicucci deve ficar no Rio de Janeiro até o fim da Rio +20, nesta sexta-feira.

Meio Ambiente