Topo

Finlândia estuda banir importação de carne bovina brasileira após queimadas

Foco de incêndio na floresta Amazônica, próximo de Humaitá, no Amazonas - Ueslei Marcelino - 17.ago.2019/Reuters
Foco de incêndio na floresta Amazônica, próximo de Humaitá, no Amazonas Imagem: Ueslei Marcelino - 17.ago.2019/Reuters

Do UOL, em São Paulo

23/08/2019 11h34

A Finlândia pediu hoje (23) que a União Europeia analise a possibilidade de banir a importação de carne brasileira após as queimadas que atingem a Amazônia.

"O ministro das finanças Mika Lintila condena a destruição na floresta Amazônica e sugere que a União Europeia e a Finlândia urgentemente analisem a possibilidade de banir a importação de carne brasileira", disse o ministério das finanças da Finlândia em um comunicado divulgado hoje (23).

As queimadas na Amazônia causaram fortes reações na Europa. Ontem, o presidente da França, Emmanuel Macron, usou o Twitter para classificar as queimadas na Amazônia como uma "crise internacional". Ele cobrou que os líderes do G7 tratem urgentemente do tema. "Nossa casa está queimando", escreveu.

Hoje, foi a vez de a chanceler alemã Angela Merkel dizer que os incêndios na Amazônia constituem uma "situação urgente" que deve ser discutida durante a cúpula do G7.

O G7, grupo formado por líderes dos EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Canadá e Japão, se reúne na cidade de Biarritz (França) neste fim de semana.

Ontem, Bolsonaro rebateu Macron em uma live nas redes sociais, dizendo que o líder francês está interessado em "ter um espaço na região amazônica para ele". Pelo Twitter, o presidente brasileiro afirmou que a sugestão do francês, de discutir assuntos ligados à floresta no encontro do G7, "evoca mentalidade colonialista".

Meio Ambiente