"Temer perdeu a condição de presidir, acabou o governo", diz vice-presidente do PSDB

Guilherme Azevedo

Do UOL, em São Paulo

  • Joel Rodrigues 22.abr.2014/Folhapress

    Alberto Goldman, ao lado de Aécio Neves

    Alberto Goldman, ao lado de Aécio Neves

Vice-presidente nacional do PSDB e ex-governador de São Paulo, Alberto Goldman avaliou nesta quinta-feira (18) que não há mais condições de Michel Temer seguir na Presidência da República.

"Temer perdeu a condição de presidir, acabou o governo. Esse é o fato político", disse Goldman, que embarca de São Paulo para reunião com líderes do PSDB em Brasília nesta quinta-feira (18).

Temer foi gravado em março por Joesley Batista, um dos donos da J&F, dona da JBS. A informação foi divulgada pelo jornal "O Globo" na quarta (17).

Opinião: Novas delações tornam Temer personagem de desenho animado

Em nota divulgada na noite de quarta-feira (17), Temer confirmou o encontro com Batista no Palácio do Jaburu, residência do presidente, mas negou o aval para a compra do silêncio. "O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar", disse, na nota.

Sobre o futuro do senador Aécio Neves (MG) como presidente nacional do PSDB, Goldman disse que é preciso saber da posição do tucano primeiro: "Se ele renunciar, tem que haver convocação da executiva nacional [para a escolha do novo presidente do partido]", explicou. Essa convocação, no caso de renúncia, caberia ao próprio Goldman, por ser o mais velho entre os vice-presidentes do partido.

  • 50804
  • true
  • http://noticias.uol.com.br/enquetes/2017/05/18/na-sua-opiniao-o-que-vai-acontecer-com-o-governo-temer.js

Aécio foi também alvo de gravação de Joesley Batista e flagrado pedindo R$ 2 milhões para custear sua defesa das acusações da Operação Lava Jato, conforme denúncia do jornal "O Globo". Nesta quinta, Aécio teve sua prisão pedida pela Procuradoria-Geral da República e foi proibido de exercer a função de senador pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Também nesta quinta, Andréa Neves, irmã do senador, e Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, foram presos pela Polícia Federal. Os escritórios do senador também foram alvo de ação de busca e apreensão de documentos.

Sobre o futuro da direção do partido, Alberto Goldman afirma que ainda há a hipótese de Aécio pedir seu afastamento da presidência do PSDB, o que daria ao senador tucano a prerrogativa de escolher seu substituto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos