Lula não terá o cabelo raspado nem usará uniforme enquanto estiver preso na PF

Nathan Lopes

Do UOL, em Curitiba

Preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde a noite do último sábado (7), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não terá a cabeça raspada nem usará uniforme de presidiário.

"Dentro do prédio da Polícia Federal, não é tomada essa providência", disse o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Paraná, Francisco Carlos Breus. "Não é uma unidade prisional em si, que necessite uniforme, padronização."

O UOL tentou contato com a assessoria de imprensa da PF do Paraná para checar a informação, mas não obteve resposta. Agentes da PF de outros dois estados confirmaram que as pessoas detidas em suas unidades não têm o cabelo raspado.

Lula cumpre sua pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex em uma sala da PF, conforme determinação do juiz Sergio Moro.

O ex-presidente só mudaria para uma unidade prisional ou para outro local por determinação da 12ª Vara Federal de Curitiba, responsável pela execução da pena.

A defesa do petista pode pedir a remoção de Lula para uma unidade prisional mais próxima de seu domicílio (São Bernardo do Campo), com condições especiais, ou seja, iguais às de Curitiba.

O ex-presidente ocupa sozinho uma sala de 15 m², com uma cama, uma mesa, uma TV e um banheiro privativo com chuveiro elétrico no quarto andar do prédio.

Por enquanto, não houve decisão a respeito de uma eventual transferência de Lula. O ex-presidente pode ficar, inclusive, preso por dois anos na Superintendência da PF, prazo para cumprimento de um sexto da pena antes que haja progressão de regime. Isso se ele não for condenado em outro processo e tiver bom comportamento.

"Enquanto ele estiver aí, ele vai permanecer da forma que ele chegou. Ele vai cuidar da higiene pessoal dele, ele que vai fazer a barba. Ele não usa uniforme. A roupa vai ser a que ele trouxe", explica Breus.

Desde a chegada de Lula, a rotina mudou mais na área externa da PF do que na própria Superintendência.

Bloqueios policiais cumprem uma determinação judicial para que os manifestantes não fiquem no entorno do prédio onde Lula está custodiado. Atualmente, eles ficam acampados a cerca de 150 metros da portaria principal da PF.

Pessoas que têm agendamento para resolver questões relativas a passaportes, por exemplo, precisam ficar numa fila e passar por uma triagem para acessar o prédio.

Eles são acompanhados, em pequenos grupos, até a entrada da PF. "Lá dentro, não muda muito. São policiais, trabalham com informações sensíveis", disse Breus.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos