Topo

CarnaUOL

Recife e Olinda


Em Olinda, casas têm bandeiras "Lula Livre", e foliões xingam Bolsonaro

Mateus Araújo

Colaboração para o UOL, em Olinda

05/03/2019 14h09

Uma das tradições carnavalescas de Olinda é o discurso político sempre presente em desfiles de blocos das ladeiras históricas. Das fantasias satíricas a musiquinhas com paródias, os pernambucanos fazem valer a máxima de que Carnaval e política combinam.

Neste ano, não tem sido diferente - e com um tom predominantemente à esquerda. Quem anda pelo sítio histórico da cidade, por exemplo, encontra em muitas das fachadas dos casarios faixas vermelhas com a frase "Lula Livre" e a estampa com o rosto do ex-presidente.

O apoio a Lula também tem aparecido em fantasias - seja em camisetas em alusão a ele ou até mesmo em acessórios como diademas com a frase pela sua liberdade.

A enfermeira Paula Cesário, 32 anos, está hospedada numa casa na rua Prudente de Moraes, com um grupo de 20 amigos - todos mineiros. Na fachada, colocaram uma faixa em homenagem ao ex-presidente. "Estamos na terra do Lula, e não há um espaço mais propício para celebrá-lo", diz. "O legal é ver que as pessoas que passam aqui em frente, sempre gritam apoiando. Até agora, ninguém xingou."

Moradora de Olinda há 25 anos, a professora Margarida Rêgo afirma que "Lula é um ícone" em Pernambuco e por isso colocou a faixa em homenagem a ele na frente da casa dela. "Não adianta fazerem o que fizeram, ele continua sendo amado por todos aqui", se referindo à prisão do ex-presidente - condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

No caso do servidor público baiano Fernando Maltez, 31 anos, o lulismo virou tema de fantasia: ele criou um chapéu que reproduz uma lula, com tentáculos, e colocou a frase livre, além de um faixa presidencial.

Foi o próprio Maltez que desenhou a fantasia e pediu para a mãe ajudar a fazer. "Queria fazer algo sobre 'Lula Livre', mas não queria nada óbvio", explica a referência.

Xingamentos

Se por um lado Lula é homenageado, por outro, o presidente Jair Bolsonaro é xingado pelos foliões olindenses. Nos desfiles, é recorrente a paródia "ai, ai, ai, Bolsonaro é o c...".

Foi cantando essa trecho que a almoxarife Meca Bascui ficou conhecida na internet pelos pernambucanos. Ela foi filmada por um amigo descendo do ônibus, na volta de uma prévia de Carnaval, repetindo o xingamento ao presidente, e o vídeo viralizou localmente.

"Todo mundo agora me reconhece na rua. Meu amigo tinha filmado e mandado no grupo de WhatsApp dos amigos, aí foi parar na internet", se diverte ela, encontrada pelo UOL numa das ladeiras da cidade carregando uma placa com a frase.

Mais Recife e Olinda