Topo

Carnaval em números: 20 curiosidades sobre a folia

André Luís Nery

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/01/2019 04h00

Em meio à folia, alguns fatos curiosos (e até bizarros) já marcaram o Carnaval ao longo dos anos. Provavelmente, muita gente recorda dos desfiles da Sapucaí em 1994, quando a modelo e atriz Lilian Ramos apareceu sem calcinha ao lado do então presidente Itamar Franco. Outro episódio não esperado ocorreu na apuração do Carnaval de São Paulo em 2012, quando Tiago Faria pulou a área de proteção e rasgou as notas. Abaixo, o UOL lista esses e outros fatos um tanto inusitados da festa.

Marchinha de Carnaval

Reprodução
Imagem: Reprodução

Ó Abre Alas, marchinha composta em 1899 pela brasileira Chiquinha Gonzaga, é considerada a primeira música de Carnaval. Ela foi feita para o cordão carnavalesco Rosa de Ouro.

Nudez

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Em 1989, Enoli Lara foi a primeira mulher a desfilar nua no Carnaval do Rio. Ela saiu pela União da Ilha representando a deusa grega Afrodite.

Cristo mendigo

Luiz Caversan/Folhapress
Imagem: Luiz Caversan/Folhapress

Em 1989, o carnavalesco Joãosinho Trinta levaria para avenida uma réplica do Cristo Redentor como mendigo. No entanto a Igreja Católica conseguiu proibir a apresentação na Justiça, e a Beija-Flor acabou desfilando com a peça coberta por um plástico.

Mostrou demais

Marcelo Carnaval/Agência O Globo/Folhapress
Imagem: Marcelo Carnaval/Agência O Globo/Folhapress

Em 1994, a modelo e atriz Lilian Ramos roubou a "cena" depois que apareceu sem calcinha ao lado do então presidente Itamar Franco em um camarote da Sapucaí.

Maior bloco do mundo

Paulo Uchôa/Estadão Conteúdo
Imagem: Paulo Uchôa/Estadão Conteúdo

O Galo da Madrugada é considerado o "maior bloco" de Carnaval do mundo pelo Guinness, livro dos recordes, desde 1995. A fanfarra surgiu no dia 23 de janeiro de 1978, há 41 anos.

Guinness

Fernando Maia/Riotur
Imagem: Fernando Maia/Riotur

O Carnaval do Rio de Janeiro aparece no Guinness como o maior do mundo. Segundo o livro dos recordes, a festa no Rio atrai aproximadamente dois milhões de pessoas por dia.

14 escolas em SP

Caio Reis e Renato Cipriano/Divulgação
Imagem: Caio Reis e Renato Cipriano/Divulgação

Em 2001, a modelo Renata Banhara desfilou pelas 14 escolas do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo.  Durante cada etapa de desfiles, a modelo bebeu 1,75 litro de água.

14 escolas no RJ

Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

Em 2003, Adriana Perett desfilou pelas 14 escolas do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Na época, ela saiu em cima de oito carros alegóricos e em seis escolas foi sambando no chão.

Rebaixamento

Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

Em 2004, a tradicional escola Gaviões da Fiel acabou rebaixada em São Paulo depois que o último carro alegórico, que fazia homenagem ao Corinthians, ficou preso na grade de proteção e provocou uma série de acidentes.

Velha guarda de fora

Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

Em 2005, após atrasar o desfile por conta de problemas técnicos nos carros alegóricos, a Portela deixou a velha guarda de fora do desfile e assim evitar estourar o tempo.

Carnaval do Rio

AP
Imagem: AP

A Portela é a maior campeã do Carnaval do Rio. São 22 títulos, o último conquistado em 2017, depois de um jejum de 33 anos. Mangueira aparece em segundo, com 19.

Carnaval de São Paulo

Simon Plestenjak/UOL
Imagem: Simon Plestenjak/UOL

Em São Paulo, ninguém ganhou mais do que a Vai-Vai. A tradicional escola de samba do Bixiga soma 15 títulos, contra 10 da Mocidade Alegre.

Tapa-sexo

Antonio Lacerda/Efe
Imagem: Antonio Lacerda/Efe

Em 2008, São Clemente perdeu meio ponto por causa de tapa-sexo minúsculo usado pela modelo Viviane Castro. O tapa-sexo tinha quatro centímetros não teria cumprido sua suposta função, e a escola perdeu meio ponto como punição pelo nu frontal da modelo.

Rainha de bateria de 7 anos

Julio Cesar Guimarães/UOL
Imagem: Julio Cesar Guimarães/UOL

Em 2010, o então presidente da Viradouro, Marco Lira, colocou sua filha, Júlia, de apenas sete anos, como rainha de bateria da escola.

Confusão

Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

E quem não lembra do barraco na apuração do Carnaval de São Paulo em 2012. Tiago Faria pulou a área de proteção e rasgou as notas.

Desfilaram de roupa íntima

Marco Antonio Teixeira/UOL
Imagem: Marco Antonio Teixeira/UOL

Em 2014, fantasias não foram entregues, e membros da Vila Isabel, que era a atual campeã do Carnaval carioca, desfilaram de cueca e lingerie.

Tapa-sexo caseiro

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Em 2014, a modelo Andressa Urach, que desfilaria pela Leandro de Itaquera, chegou à concentração da escola usando um esparadrado como tapa-sexo. 

Musa do impeachment

Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

Em 2016, a modelo Juliana Isen, musa do impeachment, foi expulsa do Sambódromo do Anhembi. Ela, que já tinha sido proibida de usar um tapa-sexo com o logo do "Fora Dilma", foi retirada da ala das passistas depois de ficar com os seios à mostra em frente ao recuo da bateria da Peruche.

Esqueceram notas

Fabio Braga/Folhapress
Imagem: Fabio Braga/Folhapress

A apuração do desfile das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo também teve problemas em 2016. Dois jurados "esqueceram" de dar notas.

Imprevisto

Marcelo Chello/CJPress/Folhapress
Imagem: Marcelo Chello/CJPress/Folhapress

 Em 2018, Tarine Lopes, uma das musas da X-9, sofreu com um imprevisto na avenida. Ela desfilava com uma pintura corporal em tons de verde, à frente do carro abre-alas, mas seu tapa-sexo descolou durante a passagem pelo Anhembi e teve que desfilar segurando a peça.

CarnaUOL