PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Suspeito nega envolvimento de grupos terroristas estrangeiros em atentado em Boston

Do UOL, em São Paulo

22/04/2013 23h55Atualizada em 23/04/2013 00h52

O suspeito do atentado em Boston (EUA) Dzhokhar Tsarnaev, 19, afirmou à polícia que o irmão mais velho, Tamerlan Tsarnaev, 26, foi quem organizou o ataque e que nenhum grupo terrorista estrangeiro teve envolvimento com as explosões que deixaram três pessoas mortas e cerca de 180 feridas, na última segunda-feira (15). A informação é de uma fonte do governo norte-americano, segundo informou nesta segunda-feira (22) a rede de TV "CNN".

Saiba mais sobre os russos suspeitos dos ataques em Boston

  • Divulgação/FBI

    Os dois suspeitos apontados pelo FBI como responsáveis pelas explosões da Maratona de Boston foram identificados como sendo os irmãos Dzhokhar A. Tsarnaev, 19, e Tamerlan Tsarnaev, 26. Os dois são russos, provenientes de uma região próxima à Tchetchênia, e residentes legais nos Estados Unidos há no mínimo um ano.

Ao ser interrogado dentro do hospital Beth Israel Deaconess, Dzhokhar teria dito que seu irmão queria defender o islã. De acordo com a fonte, os dois irmãos se encaixariam na classificação de jihadistas radicais, mas sem ligação com grupos terroristas.    

Segundo a emissora, a fonte do governo advertiu que o interrogatório é preliminar e que o relato de Tsarnaev precisa ser  verificado pelos investigadores. A imprensa norte-americana informou nesta segunda-feira que Dzohkhar responde a perguntas da polícia por escrito.

Tsarnaev está hospitalizado em estado grave sob vigilância armada. Ele recebe tratamento para ferimentos sofridos durante a perseguição que resultou em sua captura na última sexta-feira (19). A captura do jovem encerrou uma caçada humana que paralisou a região metropolitana de Boston durante cerca de 20 horas.

Suspeito indiciado

Dzhokhar Tsarnaev foi indiciado nesta segunda-feira por utilizar armas de destruição em massa e poderá enfrentar a pena de morte se for declarado culpado, anunciou o departamento de Justiça.

O jovem foi indiciado no hospital onde se encontra internado por "uso e complô de utilização de uma arma de destruição em massa contra pessoas e bens dos Estados Unidos", que provocou a morte de três pessoas e cerca de 180 feridos. Também foi indiciado por "destruição voluntária de bens com artefato explosivo", segundo um comunicado do departamento de Justiça.

A Casa Branca também afirmou que o suspeito de Boston não será tratado como "combatente inimigo", e sim será submetido ao sistema judiciário civil americano. "Segundo a lei, os cidadãos americanos não podem ser julgados por comissões militares", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney em sua coletiva de imprensa diária.

Atentado

A explosão de duas bombas caseiras, feitas com panelas de pressão carregadas de explosivos, deixou três mortos e cerca de 180 feridos na semana passada durante a Maratona de Boston.

O outro suspeito pelo crime, Tamerlan Tsarnaev, irmão de Dzohkhar, foi morto por policiais durante um tiroteio em Watertown, cidade próxima a Boston, na última sexta-feira. Em entrevista por telefone à emissora norte-americana "ABC News" nesta segunda-feira, Zubeidat Tsarnaeva, mãe dos suspeitos, disse que o filho ligou para ela antes de morrer. Ele teria dito "Mãe, eu te amo" antes de a ligação ser cortada. (Com agências internacionais)

Caçada por suspeitos do atentado passou por três cidades nos EUA

  • Arte UOL

Duas bombas explodem durante Maratona de Boston, nos EUA

Internacional