Topo

Mulher dá à luz depois de ser encontrada boiando entre escombros nas Filipinas

Jason Gutierrez/AFP
Beatriz recebe cuidados pouco após nascer em centro médico improvisado na cidade de Tacloban Imagem: Jason Gutierrez/AFP

Do UOL, em São Paulo

2013-11-11T09:46:08

11/11/2013 09h46

Emily Sagalis chorou lágrimas de alegria depois de dar à luz uma menina em uma cidade filipina que ficou completamente devastada pelo tufão Haiyan.  A bebezinha foi batizada de Beatriz, mesmo nome da mãe de Emily que desapareceu depois do tufão. Mais de 10 mil pessoas morreram na tragédia que destruiu a região central das Filipinas.

A pequena Beatriz nasceu nesta segunda-feira (11) em um aeroporto que foi transformado em uma centro médico improvisado.

"Ela é tão bonita. Vou chamá-la de Bea Joy em homenagem a minha mãe, Beatriz", sussurrou Emily, 21, logo após o parto.

Emily contou que sua mãe desapareceu quando as ondas gigantes geradas pelo tufão Haiyan engoliu a casa onde vivia em San Jose,  perto da cidade de Tacloban, capital da província de Leyte, que foi uma das áreas mais atingidas pelo desastre.

Mesmo em meio a tanta tragédia, Bea Joy parece ser um sopro de esperança e vida na família.

"Ela é o meu milagre. Eu tinha pensado que eu iria morrer com ela ainda dentro de mim quando as ondas atingiram minha casa", disse ela, enquanto Jobert, seu marido, segurava o bebê.

O pai da garotinha disse que já na primeira onda a casa de madeira onde viviam na cidade costeira de San Jose foi completamente destruída. Ele contou que toda a comunidade ficou arrasada.

"Deveríamos estar comemorando hoje, mas também estamos de luto", disse.

Jobert disse que "por causa da vontade de Deus", ele encontrou sua mulher boiando entre os escombros.

Depois que o nível da água abaixou, a família foi levada até uma escola que estava servindo de abrigo.

O casal sobreviveu até a manhã de segunda somente bebendo água encontrada em garrafas entre os escombros.

Jobert disse que sabia que sua esposa estava prestes a dar à luz a qualquer momento.

"Ela começou o trabalho às 5h (horário local), então tivemos de andar vários quilômetros antes de conseguir carona com um motorista de caminhão", disse ele.

O médico militar que fez o parto de Beatriz contou que a mãe já estava com a bolsa rompida quando entrou no hospital improvisado. Segundo o capitão Victoriano Sambale, Emily sofreu uma hemorragia durante o parto.

"Esta foi a primeira vez que fizemos um parto aqui. O bebê está bem e conseguimos parar o sangramento da mãe", disse o médico.

No entanto, Sambale advertiu que os médicos estavam extremamente preocupados com possíveis infecções que poderiam ser facilmente desenvolvidas em meio às condições do centro médico.

"Definitivamente, a mãe ainda corre perigo de pegar uma infecção e septicemia. Então, precisamos ministrar antibióticos intravenosos. Infelizmente estamos sem os antibióticos desde ontem", disse Sambale. (Com AFP)

Mais Internacional