Conteúdo publicado há 4 meses

Josias: Lula teve 'surto palanqueiro' ao encostar holocausto em Gaza

O presidente Lula (PT) teve um "surto palanqueiro" ao comparar o holocausto com os ataques israelenses à Faixa de Gaza, disse o colunista Josias de Souza no UOL News da manhã desta segunda-feira (19).

Neste cenário de escassez de vozes capazes de personificar o bom senso, Lula erra quando encosta holocausto na Faixa de Gaza. É um erro grosseiro, grotesco. Lula estava soando bem enquanto lia os discursos preparados pelo Itamaraty e condenava o ataque do Hamas, a resposta desproporcional de Israel e dizia que a solução passava pelo reconhecimento dos dois estados.
Josias de Souza, colunista do UOL

De repente, ele teve um surto palanqueiro e encostou a Faixa de Gaza no holocausto. A meu ver, Lula não ajuda em nada. De uma liderança palestina, pode soar razoável essa comparação. Agora, dos lábios de um presidente de um Estado democrático que está jogando por uma solução pacífica, as observações de Lula não servem.

O que Lula disse

O que está acontecendo na Faixa de Gaza, com o povo palestino, não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler decidiu matar os judeus Lula

Lula deu a declaração após comentar outra fala anunciando doações para a agência de refugiados palestinos da ONU. A primeira declaração também gerou polêmica e fez com que o partido Novo abrisse uma queixa-crime contra o presidente na PGR.

A reação de Israel

A declaração abriu uma crise diplomática. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que a comparação entre "Israel e Holocausto e a Hitler ultrapassou uma linha vermelha".

O governo de Israel ainda anunciou que irá convocar o embaixador do Brasil em Tel Aviv para se explicar e para uma reprimenda. Trata-se de um ato que, no jargão diplomático, representa uma sinalização clara de insatisfação e de alerta. "Os comentários do presidente brasileiro são vergonhosos e graves", disse o chanceler Israel Katz.

No Brasil, oposição e apoiadores se dividiram diante da comparação feita por Lula. Rogério Marinho (PL-RN), líder da oposição no Senado, classificou a fala como uma "ignorância histórica". Já a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) afirmou ter sido uma "comparação necessária".

Continua após a publicidade

"É uma afronta aos judeus." Um grupo de deputados federais quer protocolar um pedido de impeachment contra o presidente. Para a deputada Carla Zambelli, as falas de Lula configuram um crime de responsabilidade. "O direito à liberdade de expressão não engloba a banalização ao Holocausto", diz nota divulgada pelos parlamentares.

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja a íntegra do programa:

Deixe seu comentário

Só para assinantes