PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Miss Universo chega à Rio+20 sem seguranças após "falha de comunicação"

Matheus Lombardi

Do UOL, no Rio

17/06/2012 20h19Atualizada em 18/06/2012 07h30

A angolana Leila Lopes, atual Miss Universo, entregou um prêmio de combate a desertificação neste domingo (17), na Rio+20, Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorre até o dia 22 de junho, no RIo de Janeiro.

Nomeada embaixadora da ONU para as zonas áridas do planeta, a angolana teve que improvisar com a falta de seguranças no local.

Segundo informou um dos funcionários do Itamaraty, que tentava organizar a entrega do prêmio, o governo brasileiro não foi avisado da visita da miss ao complexo e por isso não disponibilizou seguranças para acompanhá-la. "Deve ter sido uma falha na comunicação", disse, sem querer ser identificado.

O staff da miss e a imprensa que cobria a entrega do prêmio tentavam se entender sem sucesso, enquanto dois funcionários do Itamaraty faziam o papel de seguranças e tradutores ao mesmo tempo.

A rápida cerimônia teve como objetivo entregar um prêmio de combate à desertificação no valor de US$ 400 mil, cujo vencedor foi um projeto do Haiti.

Mesmo tendo o português como língua original, a mulher mais bonita do mundo disse apenas duas palavras no idioma: boa noite e obrigada.

Após a cerimônia de entrega, enquanto era levada para uma sala vip dentro de um dos pavilhões do Parque dos atletas, a miss universo aproveitou para mandar uma mensagem aos brasileiros.

“Fico muito feliz de poder contribuir com a proteção do meio ambiente. O Brasil é um país lindo e os brasileiros precisam cuidar desse patrimônio. O nosso país é a nossa casa, por isso temos que ter tanto carinho com nossa terra”, disse.

Com o mesmo sorriso e carisma com o qual conquistou o concurso de miss universo, Leila Lopes provou que não será uma "falha de comunicação" que a fará perder a pose.

Meio Ambiente