PUBLICIDADE
Topo

Política

Governador do PR não vê grandes diferenças entre Aécio e Campos: "muito parecidos"

Do UOL, em São Paulo

05/05/2014 22h21Atualizada em 13/05/2014 15h45

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), em entrevista na noite desta segunda-feira (5) ao "Roda Viva" da TV Cultura, afirmou que não vê grandes diferenças entre o senador tucano Aécio Neves (MG) e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), ambos pré-candidatos à Presidência da República. 

"Eu os acho muito parecidos. São jovens políticos com extraordinários desempenhos nos cargos que ocupavam", disse. "Não saberia delinear quais são as diferenças fundamentais entre os dois", afirmou Richa.

Campos e Aécio são os principais adversários da presidente Dilma Rousseff na sucessão presidencial. Embora tenham evitado críticas mútuas e focado os ataques à petista, Aécio e Campos têm buscado, nas últimas semanas, expor as diferenças entre as duas candidaturas. Segundo as pesquisas, apenas um dos dois deve ir ao segundo turno contra Dilma.

Na entrevista, Beto Richa qualificou o ex-governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República de um gestor “hour concurs” --sem concorrentes, em tradução livre do francês.

O elogio ao pernambucano foi feito quando Richa citava as avaliações que teve em pesquisas de desempenho enquanto esteve à frente do governo do Paraná. “Fui avaliado como o segundo melhor governador do país, atrás só do Eduardo Campos, que é ‘hors concours’. Há muito tempo vem tendo um grande desempenho”, afirmou Richa.

Richa irá concorrer à reeleição no Paraná neste ano e chegou a ser cotado para vice na chapa de Aécio. Em 2012, o governador do Paraná apoiou Luciano Ducci, do PSB, na disputa pela prefeitura de Curitiba --vencida por Gustavo Fruet (PDT). Nas eleições deste ano, Richa espera contar com o apoio dos socialistas para vencer a disputa com a senadora Gleisi Hoffmann, provável candidata do PT ao governo do Paraná. 

“Eu já tive várias vezes com o ex-governador Eduardo Campos. Tenho uma grande afinidade com ele, sou admirador de seu trabalho, um governador que foi mais bem avaliado no seu período, como Aécio também foi”, disse.

“Tenho o candidato do meu partido que é o Aécio Neves. As coisas são tão sinceras entre PSB e PSDB que isso já foi discutido. Eu tenho que estar com meu candidato, mas políticos expressivos do meu grupo estão apoiando também o Eduardo Campos”, afirmou, quando questionado sobre a possibilidade de haver palanque duplo em seu Estado.

Ataques a Gleisi e Requião

Como governador, Richa tem avaliação pior do que quando foi prefeito de Curitiba por dois mandatos. Ele responsabilizou o antecessor, o senador Roberto Requião (PMDB), seu adversário histórico, pelos problemas que enfrenta à frente do Estado. “Encontrei um Estado com muitas dificuldades, pagando muitas dívidas do governo anterior.”

Richa afirmou que mantém relacionamento “muito cordial” com a presidente da República, mas afirmou ser vítima de perseguição por ter como adversária política Gleisi Hoffmann, que foi ministra da Casa Civil de Dilma.

“[Dilma] sempre me tratou com a maior cordialidade. Só que os recursos do Estado foram bloqueados”, disse. Richa citou outros governadores tucanos que não tiveram problemas para a liberação de recursos federais e emendou: “eles não tiveram a infelicidade de ter na Casa Civil uma ministra adversária política.”

Política