Alan Marques/Folhapress

Processo de impeachment

Ex-petista, Marta se diz convencida de crime de Dilma e pede 'página virada'

Do UOL, em São Paulo

A senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) foi a quarta a discursar na sessão do plenário do Senado que aprecia o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Em seu discurso, a ex-petista disse que indícios do processo "confirmaram sua convicção" da existência de crime de responsabilidade cometido por Dilma, declarando a "esperança de poder virar a página".

"Estou convencida que há indícios mais do que suficientes dos crimes de responsabilidade cometidos pela Presidente da República que nos permitem o juízo jurídico. E aqui nos cabe também e primordialmente emitir um julgamento político", discursou Marta, apontando uma "grave crise" no Brasil, "resultado de uma gestão que comprometeu irresponsavelmente as finanças públicas".

"Se de um lado temos uma grave e profunda crise política e econômica, é inegável que avança e cresce na população uma esperança. A esperança de poder virar a página e começarmos a recuperar o país. Os desafios não serão pequenos, nem tampouco fáceis, mas nosso compromisso com a nação brasileira e a responsabilidade com o bem-estar do povo brasileiro são tão grandes - ou maiores ainda."

Para a senadora, a solução do impasse político no Brasil exige "juízo, responsabilidade e pacificação". Na tribuna, sem fazer críticas pessoas a seu ex-partido, falou como oposição e pediu reunificação de esforços para aprovação de mudanças, defendendo uma agenda "positiva e necessária" para o país.

Nós, brasileiros, somos um povo criativo, compostos de mulheres e homens trabalhadores e honestos

"A hora é de somar. É hora da democracia. Da governabilidade. Da legalidade. Do desenvolvimento. Do corte de gastos da máquina pública. Do aumento da eficiência da administração federal. Encontraremos o caminho. Democrático, pacífico, generoso e grande para o Brasil", disse. "A sociedade não aceita mais sacrifícios sem uma perspectiva sólida", acrescentou.

No encerramento, afirmou que "nós, brasileiros, somos um povo criativo, compostos de mulheres e homens trabalhadores e honestos". Por fim, anunciou seu voto favorável ao impeachment.

Também da oposição, Ana Amélia (PP-RS) citou o papa Francisco e seu pronunciamento pela manhã, na praça de São Pedro. Em pronunciamento, o pontífice pediu diálogo e paz aos brasileiros. "É exatamente a harmonia que nós precisamos, a compreensão", disse Ana Amélia, a primeira senadora a se pronunciar.

A senadora gaúcha citou também Barack Obama, presidente dos EUA, em visita à Argentina. O democrata pediu para que os brasileiros resolvessem a crise política "de forma eficiente". "A responsabilidade do que estamos fazendo hoje cabe somente e exclusivamente a nós, senadores, porque esta casa a partir de agora é um tribunal político", completou.

Renan cita "concorrência desleal" de voz de radialista

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos