PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Governo Bolsonaro chega aos mil dias com queda de ministro a cada 2 meses

Dezenove ministros deixaram o governo desde 2019, o que resulta em uma saída a cada 52,6 dias - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Dezenove ministros deixaram o governo desde 2019, o que resulta em uma saída a cada 52,6 dias Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

26/09/2021 17h58

O presidente Jair Bolsonaro completou neste domingo (26) mil dias no cargo, com apenas oito ministérios que nunca trocaram de chefia. Desde 2019, quando assumiu, 19 ministros deixaram o governo, o que, em média, resulta em uma saída a cada 52,6 dias.

Em outubro de 2018, Bolsonaro havia prometido uma equipe com apenas 15 ministérios. Ele assumiu com 21 e, desde então, criou mais dois — o da Comunicação, em junho de 2020, e o do Trabalho e Previdência, em julho deste ano.

O cálculo não leva em conta as trocas de cargo de pessoas que continuaram em outros ministérios, caso de Onyx Lorenzoni, Braga Netto, Luiz Eduardo Ramos e André Mendonça, que comandaram mais de uma pasta nesses quase dois anos e dez meses.

A primeira baixa foi no segundo mês de governo, quando Gustavo Bebianno foi exonerado da Secretaria-Geral da Presidência por "questões mal-entendidas". Ele se desentendeu publicamente com o filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) e foi alvo de denúncias de que teria autorizado o repasse de verbas do fundo partidário para uma candidata "laranja" quando presidiu o PSL.

A mais recente foi em agosto deste ano, quando André Mendonça deixou a Advocacia-Geral da União após ser indicado para o Supremo Tribunal Federal. Desde então, porém, a sabatina dele ainda não foi agendada na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

Relembre ministros que deixaram o governo Bolsonaro:

  1. 18/2/2019: Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral da Presidência)
  2. 8/4/2019: Ricardo Vélez Rodríguez (Educação)
  3. 13/6/2019: Carlos Alberto Santos Cruz (Secretaria de Governo)
  4. 20/6/2019: Floriano Peixoto (Secretaria-Geral da Presidência)
  5. 6/2/2020: Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional)
  6. 13/2/2020: Osmar Terra (Cidadania)
  7. 16/4/2020: Luiz Henrique Mandetta (Saúde)
  8. 24/4/2020: Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública)
  9. 15/5/2020: Nelson Teich (Saúde)
  10. 16/6/2020: Abraham Weintraub (Educação)
  11. 30/6/2020: Carlos Alberto Decotelli (Educação)
  12. 10/12/2020: Marcelo Álvaro Antônio (Turismo)
  13. 31/12/2020: Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência)
  14. 15/3/2021: Eduardo Pazuello (Saúde)
  15. 29/3/2021: José Levi (Advocacia-Geral da União)
  16. 29/3/2021: Fernando Azevedo e Silva (Defesa)
  17. 29/3/2021: Ernesto Araújo (Relações Exteriores)
  18. 23/6/2021: Ricardo Salles (Meio Ambiente)
  19. 6/8/2021: André Mendonça (Advocacia-Geral da União)

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.