PUBLICIDADE
Topo

Política

PT, PSDB, PDT, PTB, DEM e PSL: como estão os partidos a um ano da eleição

Em sentido horário a partir do alto à esquerda: Eduardo Leite (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (sem partido), João Doria (PSDB), Sergio Moro (sem partido), Lula (PT), nomes cotados para a disputa pelo Planalto em 2022 - Arte/ UOL
Em sentido horário a partir do alto à esquerda: Eduardo Leite (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (sem partido), João Doria (PSDB), Sergio Moro (sem partido), Lula (PT), nomes cotados para a disputa pelo Planalto em 2022 Imagem: Arte/ UOL

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

02/10/2021 04h00

O primeiro turno da eleição presidencial de 2022 acontece daqui a um ano: no domingo 2 de outubro de 2022. Hoje, o cenário para a disputa ainda se mostra sem algumas peças do jogo, com partidos ainda começando suas movimentações para saber como se posicionar para o pleito.

Dos 24 partidos com representação no Congresso, apenas há clareza na situação de PT e PDT, que devem ter as candidaturas de Luiz Inácio Lula da Silva e Ciro Gomes, respectivamente. O atual presidente, Jair Bolsonaro, ainda precisa se colocar em um partido para poder participar da disputa democrática.

Além disso, há que se aguardar os resultados de outros movimentos, como a fusão entre Democratas e PSL, as prévias do PSDB, os acertos para federações partidárias. A partir deles, outras candidaturas devem se colocar para a corrida pelo Planalto. No momento, a maioria dos nomes apresentados é de homens brancos. A única mulher, por enquanto, é a senadora Simone Tebet (MDB-MS).

Confira como está a situação de cada partido neste momento. A ordem foi definida com base em seu número na urna.

10 - Republicanos

O partido ainda não tem definições a respeito da eleição presidencial do ano que vem. O Republicanos abriga o vereador carioca Carlos Bolsonaro, filho do presidente da República, atualmente sem partido —o senador Flávio Bolsonaro já mudou de partido. Jair Bolsonaro, porém, não deve se filiar ao partido, que não deseja abrir mão do controle, uma demanda do presidente.

11 - Progressistas

No momento, o partido não tem acertos sobre pré-candidatura ao Planalto. O Progressistas, porém, é uma possível saída para Bolsonaro disputar a reeleição no ano que vem. O partido integra o governo e comanda a Câmara dos Deputados com Arthur Lira, aliado do presidente.

12 - PDT

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes deverá encabeçar a chapa do partido na disputa pelo Planalto, assim como fez em 2018.

ciro - 9.out.2019 - Pedro Ladeira/Folhapress - 9.out.2019 - Pedro Ladeira/Folhapress
Mais uma vez, o PDT deverá ter Ciro Gomes candidato ao Planalto
Imagem: 9.out.2019 - Pedro Ladeira/Folhapress

13 - PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve disputar a eleição na busca de um terceiro mandato. Após a anulação de sentenças da Operação Lava Jato —que o tiravam do jogo político—, Lula está liberado para disputar eleições.

lula - Reprodução - Reprodução
Presidente por dois mandatos seguidos, entre 2003 e 2010, Lula deve tentar voltar ao Planalto na eleição do ano que vem
Imagem: Reprodução

14 - PTB

Nesta semana, o partido teve uma reunião sobre o convite para Bolsonaro ingressar no partido. O PTB tem dito a Bolsonaro que "está preparado para recebê-lo". O partido também pretende promover caravanas regionais chamadas "Rugidos da Liberdade". O presidente do partido, Roberto Jefferson, está preso por suspeita de envolvimento em milícia digital que atua contra a democracia.

Roberto Jefferson já convidou Bolsonaro para voltar ao PTB - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

15 - MDB

Até o momento, o partido diz que tem a senadora Simone Tebet (MS) como pré-candidata ao Planalto. O MDB, porém, pode negociar para se coligar com outras candidaturas.

tebet - 28.nov.2019 - Kleyton Amorim/UOL - 28.nov.2019 - Kleyton Amorim/UOL
O MDB indica que a senadora Simone Tebet (MS) é pré-candidata do partido ao Planalto
Imagem: 28.nov.2019 - Kleyton Amorim/UOL

17 - PSL

Partido pelo qual Bolsonaro se elegeu em 2018, o PSL filiou o jornalista José Luiz Datena em julho com a intenção de tê-lo como candidato a presidente. Mas, por causa da iminente fusão com o Democratas, que tem outros presidenciáveis, o plano pode mudar.

datena - Divulgação/Band - Divulgação/Band
O PSL filiou o jornalista José Luiz Datena com a ideia de lançá-lo candidato a presidente
Imagem: Divulgação/Band

18 - Rede

A Rede ainda não tem uma definição sobre candidatura. Segundo o partido, no momento, se debate projetos, não nomes. Marina Silva, fundadora da Rede, "está à disposição para construir uma via que olhe para a sustentabilidade", de acordo com o partido, que está focado em eleger deputados federais

19 - Podemos

O ex-juiz Sergio Moro é o alvo do partido para ser candidato à Presidência da República. Segundo o Podemos, uma resposta é aguardada até novembro. Procurada, a assessoria de Moro diz que ele ainda não tomou uma decisão. Em caso de recusa, uma alternativa seria a candidatura do senador Alvaro Dias (PR), que disputou a última corrida presidencial.

moro - Agência Brasil - Agência Brasil
Ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro do governo Bolsonaro, Moro é desejado pelo Podemos para ser candidato na eleição presidencial
Imagem: Agência Brasil

20 - PSC

Segundo o deputado federal Gilberto Nascimento (SP), secretário do partido, o PSC já definiu que não terá candidato à Presidência da República, focando nas eleições para o Legislativo. Ele, porém, diz que o partido deve apoiar outras candidaturas, mas que ainda não há conversas a respeito.

22 - PL

Em nota, o partido diz que, "por enquanto, não tem um filiado interessado na indicação para a disputa presidencial". "A mesma indefinição se aplica as possibilidades de apoio com ligação", completa, informando que o "assunto será debatido apenas em 2022" e que o partido hoje está focado exclusivamente na discussão sobre a vacinação contra a covid-19. Nos bastidores, o partido também é vista como uma possibilidade de abrigo para Bolsonaro.

23 - Cidadania

O senador Alessandro Vieira (SE) foi anunciado pelo partido como pré-candidato a presidente da República. O Cidadania, porém, pode articular coligação com outras candidaturas.

vieira - Pedro França/Agência Senado - Pedro França/Agência Senado
O senador Alessandro Vieira (SE) foi anunciado como pré-candidato do Cidadania
Imagem: Pedro França/Agência Senado

25 - Democratas

O partido possui dois nomes cotados para a disputa pelo Planalto: o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O senador, porém, também é sondado pelo PSD. Mas, com o início das conversas do partido para uma fusão com o PSL, o cenário ficou aberto.

Mandetta - Jefferson Rudy/Agência Senado - Jefferson Rudy/Agência Senado
Ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta (DEM) deseja disputar a Presidência
Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

30 - Novo

Ainda não foi tomada uma decisão. Candidato em 2018, João Amôedo desistiu de ser pré-candidato. Há conversas com o cientista político Luiz Felipe D'Avila para ser o representante do partido na disputa.

40 - PSB

Não há uma definição no momento sobre pré-candidatura ou apoio. O partido tem avaliado o cenário nacional também olhando para a situação dos estados, principalmente sobre como serão as alianças em Pernambuco e Espírito Santo.

43 - PV

O partido não pretende lançar candidatura ao Planalto, focando na eleição para o legislativo. Porém, tenta articular uma candidatura que fuja da polarização entre Bolsonaro e Lula.

45 - PSDB

O partido promove prévias para escolher seu candidato. Estão na disputa os governadores Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, e João Doria, de São Paulo, além do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. O processo será encerrado em novembro.

João Doria (à esq) e Eduardo Leite disputam a indicação no PSDB - Marcello Fim/Ofotográfico/Folhapress - Marcello Fim/Ofotográfico/Folhapress
João Doria (à esq) e Eduardo Leite disputam a indicação no PSDB
Imagem: Marcello Fim/Ofotográfico/Folhapress

50 - PSOL

No momento, o partido diz que decidiu não apresentar candidatura própria, algo que seria inédito desde a eleição de 2006. O objetivo, segundo o PSOL, é tentar construir uma unidade das forças de esquerda e centro-esquerda. Neste caso, o partido apoiaria Lula na disputa.

51 - Patriota

O Patriota, que tem passado por uma mudança no comando, diz que a Executiva Nacional "trabalha para que o partido tenha uma candidatura própria à Presidente da República", mas ainda não indica nomes. O partido diz que ainda não debateu a possibilidade de alianças, mas que atua "intensamente na formação das chapas para eleição de presidente, governadores, deputados Federais e deputados estaduais".

55 - PSD

O partido está buscando atrair o senador Rodrigo Pacheco (DEM) para ser candidato a presidente.

pacheco - Edilson Rodrigues/Agência Senado - Edilson Rodrigues/Agência Senado
O presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), é cortejado pelo PSD para ser candidato ao Planalto
Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado

65 - PCdoB

Em nota, o partido diz que "ainda não tem decisão sobre pré-candidaturas". O PCdoB também pontua que participar de coligações "é uma conduta histórica do partido", que sempre esteve ao lado do PT nas disputas ao Planalto. "Faz parte das nossas convicções a constituição de alianças, frentes para enfrentar os desafios brasileiros".

70 - Avante

O partido ainda não tem definições sobre a corrida pela Presidência da República.

77 - Solidariedade

"Por enquanto, não há pretensão em lançar chapa própria para presidente da República", diz o Solidariedade. "A tendência do partido é participar de uma coligação, mas ainda estamos conversando sobre o assunto." Segundo o partido, que se diz focado nas eleições para o Legislativo, "as definições estão demorando porque a legislação eleitoral foi aprovada esta semana e ainda estamos conversando com os estados sobre a melhor estratégia".

90 - PROS

O partido não deverá ter candidatura a presidente da República. O mais provável é que o PROS discuta com todos os presidenciáveis para saber quem receberá o apoio.

Política