PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Bolsonaro faz exame amanhã; comitiva que foi aos EUA tem 13 com coronavírus

Presidente Jair Bolsonaro acena ao deixar o Palácio da Alvorada - ADRIANO MACHADO
Presidente Jair Bolsonaro acena ao deixar o Palácio da Alvorada Imagem: ADRIANO MACHADO

Eduardo Militão e Carla Araújo

Do UOL, em Brasília, e da colunista do UOL

16/03/2020 18h16Atualizada em 16/03/2020 18h36

A comitiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que foi aos Estados Unidos há pouco mais de uma semana tem 13 pessoas infectadas com coronavírus. Amanhã, Bolsonaro fará novos exames médicos para verificar se está com a doença.

Nesta segunda-feira (16), o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, e o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, também testaram positivo para o coronavírus, aumentando a lista dos integrantes de comitiva do presidente aos Estados Unidos que contraíram a covid-19.

Em nota, a assessoria de imprensa informou que Troyjo passou a cumprir estrito isolamento domiciliar após resultado que saiu agora há pouco, nesta segunda-feira. "O secretário não apresenta sintomas e trabalha de casa, de onde continuará a observar as diretrizes de isolamento estipuladas pelo Ministério da Saúde", trouxe a nota.

Já a assessoria da CNI disse que Andrade também tem quadro assintomático. Ele afirmou ao UOL que está bem, sem sintomas. "Vou trabalhar em casa, estou passando muito bem", disse. Andrade tem uma residência em Belo Horizonte, mas a confederação não esclareceu se eventualmente ele estaria em quarentena Brasília.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) considera que há uma pandemia mundial da doença.

Quem da comitiva de Bolsonaro que contraiu a covid-19

  • Karina Kufa, advogada de Jair Bolsonaro
  • Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação
  • Marcos Troyjo, secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Economia
  • Samy Liberman, secretário-adjunto de Comunicação
  • Sergio Lima, publicitário que ajuda Bolsonaro a criar o partido Aliança Pelo Brasil
  • Robson Andrade, presidente da CNI
  • Nelson Trad (PSD-MS), senador
  • Nestor Foster, encarregado de Negócios do Brasil nos EUA
  • Francis Suarez, prefeito de Miami
  • Quatro pessoas da equipe de apoio do GSI

Entre os anfitriões, o prefeito de Miami, Francis Suarez, anunciou, na sexta (13), ter recebido o diagnóstico positivo para o novo coronavírus. Ele participou de evento com Bolsonaro e sua comitiva na segunda-feira (9), na Flórida.

Bolsonaro continua em atividade

Na sexta-feira (13), Bolsonaro afirmou que os resultados dos primeiros exames deram negativo. No domingo, o presidente saiu às ruas e abraçou militantes que pediam a intervenção militar e o fechamento do Congresso e do STF (Supremo Tribunal Federal). Para o presidente, a manifestação não era contra poderes, mas "a favor do Brasil".

Interlocutores do presidente reconhecem que a atitude pode ser considerada irresponsável. Mas, segundo um general que despacha no Palácio do Planalto "não adianta avisar", já que Bolsonaro costuma ser impulsivo e como presidente tem a autonomia para tomar decisões.

No domingo, o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência anunciou que quatro membros da equipe de apoio que estavam na comitiva presidencial contraíram a covid-19. Eles estão em quarentena, mas estão sem sintomas.

O chefe da Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência, Fábio Wajngarten, foi o primeiro diagnosticado com o coronavírus. Ele segue isolado. Outros três casos de integrantes da comitiva oficial de Bolsonaro na viagem à Flórida são o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), o diplomata Nestor Forster, indicado para o cargo de embaixador do Brasil em Washington, e a advogada do presidente Karina Kufa

Apesar dos protocolos de saúde recomendarem repouso e trabalho em casa, o presidente da República segue em atividade. Na manhã de hoje, ele saiu do Palácio da Alvorada e seguiu para o Planalto. Lá, se reuniu com o ministro chefe do GSI, general Augusto Heleno, outro membro da comitiva presidencial e que, em tese, estaria em isolamento.

Bolsonaro concedeu uma entrevista à rádio Bandnews FM pela manhã. À tarde, teve reunião no Ministério da Economia, com o ministro Paulo Guedes e empresários. Depois, foi para o Planalto, onde convocou uma nova reunião justamente para decidir se vai ou não instalar um comitê de crise para ações do coronavirus.

Coronavírus