PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: Últimas notícias e o que sabemos até esta quinta-feira (26)

Do UOL, em São Paulo

26/03/2020 15h11

O Brasil segue vendo o surto de coronavírus crescer, em um ritmo ainda regular, enquanto nos âmbitos políticos e econômicos, disputas seguem quentes. Hoje, novas medidas foram anunciadas e outras, derrubadas, como a do ministro do STF Alexandre de Moraes, que vetou trecho do MP que permitia o não-cumprimento da lei de acesso à informação.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que serão zerados os impostos sobre remédios usados para tratar a covid-19, mas viu as metas de PIB também serem colocadas no zero. Ele ainda viu o vírus se aproximar outra vez de si, com um segurança diagnosticado com a doença.

No último boletim do Ministério da Saúde, divulgado hoje, cresceu mais uma vez o número de mortos, de 57 para 77, com 2.915 casos oficiais confirmados no país. Esse aumento representou o maior pico de mortes e infectados em apenas um dia.

Cunha em prisão domiciliar

Em uma decisão "absolutamente excepcional", a juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal de Curitiba, permitiu que Eduardo Cunha cumpra sua pena em prisão domiciliar enquanto durar a crise do novo coronavírus — ou enquanto o estado de saúde dele justificar o cuidado especial.

O ex-presidente da Câmara dos Deputados tem 61 anos de idade, o que o coloca no grupo de risco para a covid-19. Ele vai usar uma tornozeleira eletrônica e poderá receber visitas de parentes de até terceiro grau, advogados constituídos e pessoas que estejam em uma lista de até 15 nomes previamente aprovados pelo MPF (Ministério Público Federal), da 13ª Vara, e de profissionais da área da saúde.

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

PIB pode zerar

O Banco Central zerou hoje a expectativa de crescimento da economia para 2020. Em dezembro, a expectativa era de alta de 2,2% do PIB (Produto Interno Bruto). A mudança vem em linha com a divulgada, na semana passada, pelo Ministério da Economia, que reduziu suas projeções de alta de 2,1% para 0,02%.

Os reflexos da pandemia já são sentidos na economia, principalmente entre os pequenos e médios empresários. Setores como os de restaurantes já têm de tomar medidas dramáticas, incluindo demissões.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (MDB-RJ), afirmou em coletiva de imprensa, que quer pagar R$ 500 por mês a trabalhadores informais durante a pandemia do coronavírus. "Não é possível que a gente não possa garantir aos informais, ao Bolsa Família, uma renda num período de três meses. Estamos construindo um valor de R$ 500 para trabalhadores informais", disse Maia.

Bolsonaro e seus entornos

Passado o calor de seu pronunciamento, que trazia grandes desenrolares até ontem, incluindo briga com João Doria, Bolsonaro anunciou hoje que zerou imposto de importação que incide sobre a cloroquina e a azitromicina, medicamentos testados de maneira preliminar no tratamento de pacientes acometidos pela covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O presidente tem apostado fortemente no sucesso destas drogas.

Bolsonaro voltou a tomar medida polêmica ao incluir lotéricas e templos religiosos na lista de serviços considerados essenciais. Dessa forma, esses locais poderão funcionar apesar de restrições impostas por governos estaduais e municipais para conter a proliferação do coronavírus.

O presidente também ironizou a imprensa ao deixar o Palácio da Alvorada, ao questionar por que os jornalistas estavam presencialmente à porta do local, se defendem o isolamento.

Segurança com covid-19

Depois de testar negativo em testes, de acordo com o que disse à população, Bolsonaro voltou a ter uma pessoa de seu entorno diagnosticada com o coronavírus. O capitão da Polícia Militar Ari Celso Rocha Barros teve diagnosticada a doença, estava em tratamento em casa, mas o quadro piorou, segundo fontes ouvidas pelo UOL, e ele foi internado.

Barros não estava na comitiva que foi aos Estados Unidos recentemente. O capitão tem 40 anos, sofre de pressão alta, mas está em estado estável.

Governadores em ação

Com principalmente Doria e Wietzel fazendo pressão em Bolsonaro, o governador de São Paulo exigiu saber do governo federal quais são os planos de ajuda econômica em 72 horas e se mostrou contrário a liberar ida a templos religiosos. Já o do Rio de Janeiro disse hoje que precisará reavaliar as medidas de proteção contra o novo coronavírus se o governo federal não ajudar financeiramente.

O Rio anunciou que usará o Maracanã e outras instalações para fazer hospitais de campanha. Na capital fluminense, a preocupação é com ao menos 300 casos de coronavírus entre agentes da Polícia Militar, que foram afastados do trabalho.

A pandemia tem se disseminado no Brasil, como mostram novas mortes anunciadas hoje. Goiás registrou seu primeiro óbito relacionado à doença, enquanto Pernambuco teve mais dois e agora totaliza três mortes pela doença.

OMS acalma Europa, G20 anuncia pacote

A Organização Mundial de Saúde deu uma notícia animadora em relação ao avanço da pandemia na Europa. O diretor da unidade Europa da OMS afirmou hoje que há "sinais encorajadores" de desaceleração do surto, mas destacou que a situação continua sendo grave.

26.mar.2020 - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o presidente Jair Bolsonaro durante videoconferência dos líderes do G20 -  Marcos Corrêa/PR
26.mar.2020 - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o presidente Jair Bolsonaro durante videoconferência dos líderes do G20
Imagem: Marcos Corrêa/PR

Já em reunião do G20, com participação de Bolsonaro, debateu-se a pandemia e foi anunciado um investimento de US$ 5 trilhões na economia global para enfrentar os efeitos da crise pelo mundo. Segundo o grupo que reúne os líderes das maiores economias do mundo, a injeção de recursos abrangerá políticas fiscais direcionadas e médicas de garantia no enfrentamento de "impactos sociais, econômicos e financeiros da pandemia".

Na reunião, Bolsonaro deixou à mostra, de forma sugestiva, um remédio com substância que é testada para curar a covid-19.

Itália e Espanha

Apesar da nota encorajadora da OMS, as mortes na Itália e na Espanha seguem altas.

Entre os italianos, houve aumento, com 712 óbitos, diante dos 683 de ontem. No total, são 80.539 pessoas infectadas só na Itália. O total de mortes subiu a 8.165.

A boa notícia é a de um senhor de 101 anos que sobreviveu à covid-19 e foi declarado curado.

A Espanha já registra 4.089 mortes provocadas pelo novo coronavírus e mais de 56 mil infectados - 8.578 a mais que no dia anterior -, segundo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde. Mas o número de mortes por dia, de 655, caiu pela primeira vez na última semana, com 83 menos óbitos do que os registrados ontem.

Estados Unidos: mortes e recessão

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA informou hoje que já há registrados 68.440 casos de coronavírus, um aumento de 13.987 casos em relação à contagem anterior, e disse que o número de mortes aumentou em 257, para um total de 994. Uma preocupação é em relação a casos na Marinha. Foram identificados oito diagnósticos positivos no porta-aviões USS Theodore Roosevelt.

Na economia, o presidente do Federal Reserve (FED, o banco central americano), Jerome Powell, disse hoje que os Estados Unidos já podem estar em recessão por causa dos efeitos da pandemia, mas ressaltou que o país atravessa uma "situação única" e que "não há nada de errado" com sua economia do ponto de vista dos fundamentos.

A importância da ciência

Enquanto a pandemia se expande, cientistas e pesquisadores trabalham em ritmo acelerado. Ontem, imagens que mostram como o coronavírus atua atacando as células humanas impressionaram e ajudaram a dar cara ao que estamos combatendo.

Imagens mostram células humanas sob ataque do novo coronavírus - NIAID
Imagens mostram células humanas sob ataque do novo coronavírus
Imagem: NIAID

Além disso, pesquisadores sequenciaram em 48 horas - tempo recorde - os primeiros 19 genomas do novo coronavírus em pacientes dos seguintes estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul e São Paulo. O trabalho confirmou a transmissão local do vírus dentro do país o que, para os cientistas, reforça a necessidade do isolamento social como medida preventiva.

Mais boas notícias

O dia de hoje ainda reservou mais boas notícias e ações no combate à pandemia. Uma de aquecer o coração é a de que crianças vêm espalhando cartazes com mensagens pelo mundo para alertar contra a covid-19 e também passar seu carinho ao próximo. Uma corrente em particular chamou atenção, com desenhos de arco-íris e a mensagem: "vai ficar tudo bem".

Arco-íris da esperança: crianças espalham cartazes com mensagens pelo mundo - Arquivo pessoal
Arco-íris da esperança: crianças espalham cartazes com mensagens pelo mundo
Imagem: Arquivo pessoal

Outra notícia prova que há vida na quarentena e que não há desculpas para não fazer exercícios: um maratonista conseguiu completar os 42 km que percorreria nas ruas correndo dentro de seu apartamento.

Entre as grandes corporações, Apple e Facebook prometeram doar materiais a hospitais: a primeira prometeu US$ 9 milhões, enquanto o segundo falou em fornecer 720 mil máscaras a unidades de saúde, retirando-as de um estoque que fez contra os incêndios recentes que atingiram cidades dos EUA. Já a grife italiana Bulgari anunciou a doação de cerca de 200 mil frascos de álcool em gel para médicos, enfermeiros e equipes sanitárias da Itália, e a Ralph Lauren prometeu doar US$ 10 milhões.

Por fim, não há como não se derreter com o cão de um hospital dos Estados Unidos. Ele vem sendo treinado para auxiliar em terapias. O labrador Wynn tem um ano e tem ajudado a dar ânimo para os profissionais de saúde, que têm recebido ainda mais carinho do cãozinho neste momento de incertezas.

Coronavírus