PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Geração P

Os impactos do coronavírus na sociedade, economia e cultura.


Geração P #2: 'Esquece o sextou'; como é a nova rotina na saída da quarentena

Mais Geração P
1 | 22
Siga o UOL no

Do UOL, em São Paulo

20/05/2020 04h01

No episódio desta quarta-feira (20), Geração P traz detalhes sobre a rotina daqueles que estão saindo do confinamento na Europa —o novo podcasts do UOL fala sobre os impactos da pandemia na sociedade, economia e cultura. E questiona como será essa transição no Brasil. Os apresentadores Jamil Chade e Ruth Manus, que moram na Suíça e em Portugal, respectivamente, relatam um novo cotidiano cheio de dúvidas e de muita confusão. E Manus resume: "Não vai haver sextou. Pelo menos não da forma como havia".

Chade começa a conversar resumindo sua nova rotina (a partir de 1:40 no arquivo acima): "A vida pós-confinamento não tem nada de normal. Absolutamente nada de normal. [...] E obviamente tem uma grande confusão em termos de informações. Essas informações existem, obviamente os governos fazem coletivas de imprensa, mas fica extremamente complicado de entender. E, claro, de levar isso tudo à vida diária de milhões de europeus".

Mesmo vivendo em outro país, Manus relata algo parecido (a partir de 02:44): "Eu acho que a frase que mais tenho dito atualmente é perguntar: pode [fazer] não sei o quê? Pode [fazer] não sei o que lá? Porque eu estou perdida, [...] está tudo muito confuso".

Ruth conta que Portugal saiu do estado de emergência e entrou no estado de calamidade: "O fundo do poço ficou mais longe, a gente vem voltando, mas isso não quer dizer que saímos do poço", resumiu. Segundo ela, essa confusão vem das diferentes etapas do confinamento, por ora divididas em primeira e segunda fases (ouça a partir de 06:41). "A gente olha [uma situação] e fala: 'mas isso aqui é nessa fase ou na outra?'. 'Quando começa a outra fase?'. 'Isso aqui já era, não era?'. [...] É tanta informação que a gente não está sabendo processar."

Além das incertezas, os apresentadores relatam que o fim da quarentena representa um momento de muitos riscos. Aqueles que ficavam em casa, sentindo-se protegidos, passam a retomar uma rotina em que se sentem mais expostos (nas ruas, no trabalho, em instituições de ensino e em lojas, por exemplo) --no arquivo acima, você ouve esse trecho a partir de 17:14.

E Chade lembra (a partir de 23:30) que a Europa relaxou a quarentena quando houve estabilização na curva de casos da Covid-19, algo que ainda não aconteceu no Brasil. "Falar da saída da quarentena no Brasil vai exigir, antes de mais nada, um entendimento de que essa curva, de alguma forma, vai ter de se estabilizar." O apresentador reforça ainda o tamanho do país, que representa um desafio grande: "Não há como pensar que São Paulo e Fortaleza vão abrir no mesmo dia", exemplifica.

Na conclusão de Ruth, é importante ter consciência que o fim da quarentena não representa a volta à normalidade. "A gente que está aqui vivendo as coisas um pouquinho antes do que acontecem no Brasil. E é importante as pessoas aceitarem que não vai haver um 'sextou'. Não pelo menos não da forma como havia. Não vai poder sair todo mundo de casa ao mesmo tempo para ir para o bar, porque vai todo mundo ficar doente no sábado de manhã. Então a gente tem que entender que vai ser com calma" (a partir de 26:28).

Geração P

A letra "P", do nome do podcast, refere-se à pandemia, às perspectivas e, especialmente, às projeções de como serão nossas vidas daqui para frente. Assista abaixo ao vídeo de lançamento do podcast.

Às segundas e quartas, o programa tem apresentação de Jamil Chade, colunista do UOL baseado em Genebra, e Ruth Manus, advogada e escritora que vive em Lisboa. Eles trazem bate-papos, análises e reflexões sobre os novos caminhos que se formam a partir da Covid-19, além de entrevistas.

Aos sábados, o podcast volta seu olhar a mulheres no Brasil que estão na linha de frente contra o coronavírus. A jornalista Giuliana Bergamo conta essas histórias, que fazem parte de uma série de reportagens especiais de Universa, a plataforma feminina do UOL. O primeiro relato é sobre os desafios enfrentados por Ho Yeh Li, coordenadora da UTI de doenças infecciosas do HC-SP, que foi vítima do coronavírus e participou da repatriação de brasileiros na China.

Você pode ouvir o podcasdt Geração P no UOL, no Youtube e em distribuidores de podcasts, como Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e Deezer. Com este lançamento, o UOL soma 14 podcasts: você pode conferir todos os programas em uol.com.br/podcasts.