Topo

CarnaUOL

Minas Gerais


Em BH, Havayanas Usadas faz público de 2 mil pessoas rebolar até o chão

Bloco Havaianas Usadas, um dos maiores da cidade, no Paraibando - Nereu Jr
Bloco Havaianas Usadas, um dos maiores da cidade, no Paraibando Imagem: Nereu Jr

Zirlene Lemos

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

24/02/2019 22h45

Você ja imaginou um Carnaval com repertório mesclando Elis Regina; Rita Lee, Daniela Mercury cantada em espanhol, Caetano Veloso, Sara Jane, Anitta e Tom Zé? Em Belo Horizonte tem. Essa 'geléia geral' foi hoje, no palco do Paraibando 2019, mais um dos agitados  pré-carnavais da capital que pelo 4º ano, ocupou o quarteirão entre as ruas Cláudio Manoel e Santa Rita Durão, no coração da Savassi, região Centro-Sul e durou de 13h às 22h.

Aberto ao público na festa não faltou folião animado como Bernardo Bruschi, 28 anos, auxiliar de cartório que  trocou a folia do interior pela da capital. "O Carnaval de BH tá lindo e esse ano promete ser melhor que o anterior por causa da quantidade de pessoas que devem participar [estima-se que mais de 4,5 milhões de pessoas]. Eu conheço os carnavais do interior de Minas mas há 2 anos só passo o carnaval aqui: o de BH já é o melhor do Brasil", garante.

Parece que o público está guardando as fantasias para o Carnaval, poucas pessoas se fantasiaram mas em compensação muitas folionas incrementaram o look com tiaras coloridas, orelhinhas, máscaras e brilho.

Diversidade

A primeira banda a se apresentar foi a Orquestra Royal, que lançou oficialmente 'Metade da Laranja', uma nova marchinha que promete conquistar os foliões numa paródia ao ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno. Também se apresentaram o Projeto Manteigada (Querida Jacinta) banda que conta com a maioria das integrantes mulheres e nas Pick-ups Dj Cateb.

Quem encerrou a festa ao ritmo de lambadas, salsas, rumbas, cumbias, merengues, reggaeton e muito axé foi o bloco Havayanas Usadas, comandado pelos vocalistas Heleno Augusto e Vivi Coelho, que levaram o público a dançar até o chão. 

Com o tema 'Soy loco por ti, Carnaval', o esquenta de hoje foi só para "dar uma prévia" do que virá no desfile do bloco, marcado para a segunda-feira, 4 de março, às 11h, saindo da Av. dos Andradas 3.760. Peu Cardoso, maestro e cofundador do bloco garante que o carnaval do Havayanas é coletivo. "Todo ano o Havayanas traz um tema novo, o que sempre transforma muito a experiência de cada ano. Em 2019  novidades não vão faltar, pois nosso bloco é feito COM o público e não apenas PARA o público".

Num clima bem família e com muitas crianças, o evento contou com público de 2 mil pessoas e segundo a organização e sem nenhuma ocorrência policial ou atendimento médico. Tomás Dias, um dos organizadores, garante que o Paraibando já se firmou no calendário momesco da capital. "A cada ano fechamos a rua e levamos shows de qualidade para o público com o objetivo de oferecer diversão e alegria para toda a família em um evento gratuito e democrático, na rua, mas com estrutura de palco, som, luz, banheiros, bares e alimentação e mais uma vez  reunimos aqui 2 mil pessoas", comemora.
 
Durante o evento o clima também foi de respeito às minas. Vale lembrar que esse é o primeiro carnaval onde já está valendo a nova lei de importunação sexual. Na folia de Belo Horizonte, já é conhecida  a campanha "Não é Não!" que agora, foi reforçada pela "Não forço a barra!", iniciativa encabeçada por homens, cujo objetivo é prevenir situações como puxar pelo braço ou pelo cabelo, tocar ou beijar à força, entre outras.

Foram distribuídas duas mil canecas, mil óculos e mil chapéus, brindes da Cerveja Amstel, patrocinadora de vários blocos no Brasil. O Carnaval de rua em Belo Horizonte 'cresceu e apareceu' e só neste ano já contabiliza 590 blocos cadastrados para desfilar e expectativa de ultrapassar 4,5 milhões de folionas e foliões.

Minas Gerais